Intel aponta novo investimento de US$ 125 milhões para startups

HOMENegóciosStartup

A fabricante de chips norte-americana anunciou que deverá disponibilizar a quantia de US$ 125 milhões para startups em um programa de apoio à diversidade, já que a adesão das empresas em desenvolvimento precisará provar que tem um quadro ou um projeto que também apoie a ideia. O fundo será gerido pela Intel Capital e é

A fabricante de chips norte-americana anunciou que deverá disponibilizar a quantia de US$ 125 milhões para startups em um programa de apoio à diversidade, já que a adesão das empresas em desenvolvimento precisará provar que tem um quadro ou um projeto que também apoie a ideia.

intel

O fundo será gerido pela Intel Capital e é adicional aos US$ 300 milhões que a empresa já havia se comprometido a gastar, para incluir em sua força de trabalho representantes mais heterogêneos em termos de gênero e etnia.

“A companhia mais que dobrou o número de candidatos contratados sob essa diretriz de diversidade”, afirmou esta semana o CEO da companhia, Brian Krzanich, em um evento realizado na sede companhia de Santa Clara, Califórnia (EUA).

“Você simplesmente não pode sair e dizer que você vai contratar os mais diferentes perfis de candidatos, antes é preciso construir todo um ecossistema que transforme isso em algo natural”, completou o executivo.

Empresas do Vale do Silício estão sob constantemente cobrando uma solução para a falta de diversidade entre os times de profissionais. Krzanich já havia afirmado em janeiro que ele está ajustando a remuneração de executivos dentro da empresa, transformando os pagamentos em ganhos equânimes, independente de quem ocupe a vaga.

Menos de 15% do time de empresas de tecnologia nos EUA têm em seus quadros profissionais que representem a diversidade tanto de gênero, quando de etnia e também de condição sexual.

Outro dado importante, apurado pela própria fabricante de chipsets aponta que as empresas dos EUA com uma mulher no comando recebem apenas 3% de todo o dinheiro investido em startups. Além disso, “menos de 1% dos fundadores de companhias em desenvolvimento no Vale do Silício são latinos e afro-americanos, ou têm sua condição de gay, lésbica, bissexual ou transexual assumido”, finalizou o executivo da Intel.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor