Orange estuda aquisição da Telecom Italia

MobilidadeNegóciosOperadorasRedes

A Orange S/A, maior grupo de telecomunicações da França, afirmou publicamente que estuda uma oferta de compra para arrematar a Telecom Italia, dona da TIM Brasil. A informação foi transmitida pessoalmente ao jornal britânico Financial Times pelo vice presidente da Orange, Gervais Pellissier. De acordo com o executivo, além da italiana, estariam também no radar

A Orange S/A, maior grupo de telecomunicações da França, afirmou publicamente que estuda uma oferta de compra para arrematar a Telecom Italia, dona da TIM Brasil.

Orange Telecom 2

A informação foi transmitida pessoalmente ao jornal britânico Financial Times pelo vice presidente da Orange, Gervais Pellissier. De acordo com o executivo, além da italiana, estariam também no radar de aquisições da tele europeia a holandesa KPN, que opera redes 3G e 4G nos Países baixos, e a Belgacom, operadora estatal da Bélgica e dona de marcas de telefonia fixa e móvel, TV por assinatura e serviços de TI, como Belgacom Mobile, Belgacom ICS, Telindus, Belgacom Skynet, Scarlet e Tango.

”Nos próximos cinco anos haverá uma consolidação intra-europeia no setor em qua atuamos”, afirmou Pellissier em entrevista à jornalistas, para explicar as intenções da corporação francesa. Segundo ele, a medida é necessária para as operadoras que planejam competir “em um continente com mercados de telecomunicações bastante estabelecidos”.

A tele é a terceira maior da Europa em número de usuários, com 28,2 milhões de clientes em seu país de origem e mais de 230 milhões no restante do mundo. Vice-líder do mercado, a alemã Deutsche Telekom tem na região cerca de 56,8 milhões de clientes e a gigante britânica Vodafone, que além de maior da Europa, é a segunda maior operadora do mundo, com 434 milhões de consumidores, em 65 países.

Em março, o CEO da empresa, Stephane Richard, já havia declarado interesse na operadora italiana, que por sua vez negou a existência de negociações. Gervais Pellissier, no entanto, foi claro na entrevista de ontem, ao afirmar que ainda falta convencer investidores, o quadro executivo da Telecom Italia e os reguladores locais dos países envolvidos na suposta operação, para obter apoio total à ideia.

o movimento ocorre menos de uma semana depois de outro possível golpe negativo nas operações da proprietária da TIM Brasil. Na semana passada a Vodafone sinalizou uma parceria com a holandesa Wind para aquisição da Metroweb e consequente formação de uma rede italiana de fibra ótica, em forma de consórcio.

O movimento ocorre justamente porque mais de 70% da rede fixa da Telecom Italia na região ainda é formada por infraestrutura de cobre. por isso, um concorrente trabalhando com fibra e oferecendo planos de internet de alta velocidade seria um incômodo aos planos da maior operadora daquele país.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor