Presidente da Oi indica que empresa terá capital pulverizado a partir de agosto

NegóciosOperadorasRedes

A operadora de telecomunicações Oi deve ter capital pulverizado a partir de agosto, segundo informações divulgadas oficialmente pelo presidente da tele, Paulo Bayard Gontijo, durante evento em São Paulo. O executivo afirmou também que a empresa deverá abrir um prazo para donos de ações preferenciais converter seus papéis em ordinários. Em março, a Oi propôs

A operadora de telecomunicações Oi deve ter capital pulverizado a partir de agosto, segundo informações divulgadas oficialmente pelo presidente da tele, Paulo Bayard Gontijo, durante evento em São Paulo.

Paulo Bayard Gontijo - presidente da Oi

O executivo afirmou também que a empresa deverá abrir um prazo para donos de ações preferenciais converter seus papéis em ordinários. Em março, a Oi propôs à Telemar Participações uma conversão voluntária de ações preferênciais em papéis com direito a voto, como alternativas para lidar com o atraso gerado na migração da companhia de telecomunicações ao Novo Mercado, da BM&FBovespa.

Com a proposta, a companhia planeja levar adiante a entrada no nível mais alto de governança da bolsa paulista, processo que foi atrasado devido ao fracasso da fusão com a Portugal Telecom. Gontijo não deu mais detalhes sobre os próximos passos que serão tomados pela companhia neste sentido.

Para Gontijo a companhia “segue empenhada em ser protagonista no proceso de consolidação do setor brasileiro de telecomunicações”, de acordo com entrevista que cedeu à agência de notícias Reuters.

Em agosto passado, a Oi informou que havia contratado o BTG Pactual para coordenar uma possível oferta de compra da TIM Participações, em parceria com a Telefonica Brasil e a Claro, da mexicana América Móvil. Especialistas de mercado têm se mostrado céticos com a possibilidade de ‘protagonismo’ da empresa no processo, por conta do elevado endividamento, muito menor que o da TIM.

A Oi chegou a ter dívida líquida de R$ 47,8 bilhões, número que caiu para R$ 32,56 bilhões em março, após a venda dos ativos da Portugal Telecom, mas ainda é considerada elevada. Segundo dados da Anatel referente a abril, a Oi é a quarta maior operadora móvel do país, com 18% do mercado. Atrás da líder Vivo, que concentra 29%, da TIM Brasil, com 27% e da Claro, única das quatro maiores companhias do mercado com capital fechado e que mantém o índice de 25% do total de usuários.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor