Presidente do Twitter renuncia e ações disparam

e-MarketingNegóciosRedes Sociais

O presidente-executivo do Twitter, Dick Costolo, anunciou no início da noite de ontem que deve deixar o cargo até julho, já que ele se encontra sob forte pressão dos investidores, frustrados pelo lento crescimento da companhia e constantes mudanças nos quadros mais altos dentro do microblog. Em comunicado, Costolo disse que era “tremendamente orgulhoso” dos

O presidente-executivo do Twitter, Dick Costolo, anunciou no início da noite de ontem que deve deixar o cargo até julho, já que ele se encontra sob forte pressão dos investidores, frustrados pelo lento crescimento da companhia e constantes mudanças nos quadros mais altos dentro do microblog.

32649.48287-twitter

Em comunicado, Costolo disse que era “tremendamente orgulhoso” dos seis anos em que trabalhou no Twitter. “Eu aprecio profundamente a confiança que o Conselho, a direção e os empregados colocaram em mim nos últimos anos”, afirmou. Ele deixará a liderança da empresa em julho, mas continuará com um cargo no conselho administrativo da companhia.

O Twitter tem lutado e há bastante tempo para ganhar usuários na comparação com os números de outras companhias de redes sociais como o Facebook, o Instagram e o Snapchat. Dados globais da consultoria eMarketer estimam que a base de usuários do Twitter em todo o mundo deve fechar 2015 com crescimento mensal de 14,1%, enquanto em 2013, a própria companhia angariava mais de 30% de usuários novos todos os meses.

Com o movimento as ações da companhia que são negociadas na New York Stock Exchange (NYSE), a tradicional bolsa de valores de Nova York, subiram 7,7%, minutos após o anúncio, durante o after-market. Em abril, os investidores já demonstravam insatisfação com resultados trimestrais da companhia, o que na época causou uma queda brutal na cotação dos papéis da empresa.

Costolo será substituído pelo cofundador do microblog, Jack Dorsey. O novo CEO interino já exerceu a função de presidente do Twitter entre maio de 2007 e outubro de 2008 e não deixará o comando da companhia de pagamentos, Square, co-fundada por Dorsey e Jim McKelvey.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor