Senai da Bahia ingressa em programa global de computação paralela da Intel

EmpresasNegócios

A gigante norte-americana de processadores e chipsets selecionou o Centro de Supercomputação para Inovação Industrial do Senai Cimatec, localizado no estado da Bahia, como novo membro do programa Intel Parallel Computing Centers. Mais de 50 centros de computação paralela em todo o mundo já são membros da iniciativa. Intel Parallel Computing Centers do Serviço Nacional

A gigante norte-americana de processadores e chipsets selecionou o Centro de Supercomputação para Inovação Industrial do Senai Cimatec, localizado no estado da Bahia, como novo membro do programa Intel Parallel Computing Centers.

Senai Cimatec Bahia

Mais de 50 centros de computação paralela em todo o mundo já são membros da iniciativa. Intel Parallel Computing Centers do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) da Bahia se junta a um grupo de instituições que inclui a ETH Zürich, na Suíça, a Universidades de Bristol, na Inglaterra, a Universidade de Edimburgo, na Escócia.

Além destes, as instituições norte-americanas Lawrence Berkeley National Laboratory, Georgia Institute of Technology, Centro de Computação Avançada do Texas e Universidades de Stanford e Wisconsin, também integram o programa.

No Brasil os centros de supercomputação da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP) e Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), são os representantes nacionais que já faziam parte do programa.

“O Centro supercomputação do Senai Bahia, que hospeda o maior supercomputador da América Latina, será o terceiro Intel localizado no Brasil. Esse locais são focados no desenvolvimento de aplicações de ponta e formação de recursos humanos especializados em computação de alto desempenho”, explica o diretor executivo da Intel Brasil, Fernando Martins.

“A companhia vê grandes oportunidades para a computação de alto desempenho no Brasil, e a chegada de mais um centro ao nosso programa comprova a excelência do trabalho que está sendo realizado no país”, completa.

As inovações recentes em computação paralela, envolvendo sistemas com processadores multicore, estão abrindo novas oportunidades para o processamento de alto desempenho (HPC, na sigla em inglês) em diversas áreas do conhecimento.

Os Intel PCCs ajudarão a desenvolver, aprimorar e modernizar software para aumentar o paralelismo (possibilidade de realizar diversos cálculos computacionais simultaneamente) em aplicações científicas e industriais. Ao incentivar o avanço em escalabilidade (capacidade de utilizar recursos computacionais em alta escala para tratar problemas maiores ou mais complexos), os centros buscam acelerar descobertas em diferentes áreas da pesquisa científica.

Como integrante do programa, o Senai Bahia terá o papel de construir as bases para que o Centro de Supercomputação se torne uma referência de excelência na otimização e modernização de código HPC em plataformas Intel, explorando as novas funcionalidades da família de processadores Intel Xeon e da família de coprocessadores Intel Xeon Phi.

Os estudantes e professores do local, também terão como prioridade o estudo e aprimoramento de tecnologias como a Full Waveform Inversion (FWI), para o processamento de dados sísmicos 3D e 4D de dimensões industriais. O projeto tem entre os parceiros com a companhia de óleo e gás BG Brasil e colabora com pesquisas da inglesa Imperial College London, referência mundial em FWI.

“O Senai deve se tornar a ponte que traz geofísicos e cientistas internacionais, com o apoio da Intel, a trabalharem no desenvolvimento de software para a indústria de energia brasileira”, afirma o Professor e coordenador do grupo de pesquisa em colaboração com o Senai Bahia, no Imperial College London, Gerard Gorman.

A parceria contribuirá para o desenvolvimento de estudos em campos de óleo e gás, incluindo a exploração da camada pré-sal. Com o ingresso da entidade no programa global da Intel, o Senai Bahia ganhará acesso a recursos variados como formação, financiamento, hardware, ferramentas de software e suporte técnico, todos providos pela companhia norte-americana.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor