Suprema Corte dos EUA rejeita recurso do Google sobre violação de patentes

GestãoLegalLegislaçãoRegulação

A gigante de internet terá de se defender de acusações que responsabilizam seu software de mapeamento Street View, por violar patentes detidas pela Vederi, após a Suprema Corte dos Estados Unidos ter rejeitado o recurso da companhia.

A decisão da alta corte, que optou por não fazer audiências sobre o caso, deixa intacta a decisão de março de 2014 da Corte de Apelações, que rejeitou uma decisão de um juiz distrital segundo a qual o Google não infringiu quatro diferentes patentes. O caso irá agora voltar para tribunais inferiores para novas análises.

A Vederi processou o Google em 2010, ao alegar violar patentes, que envolvem formas de criar imagens de uma área geográfica que podem ser navegadas pelo computador.

O Google já estava sob maus lençóis em outro caso envolvendo disputa de patentes, dessa vez com o sistema Java, propriedade da Oracle. Em maio, a companhia de Mountain View, na Califórnia (EUA), solicitou à suprema corte do país que rechaçasse pedidos de propriedade sobre patentes, feito pela Oracle.

Nessa oportunidade o presidente Barack Obama recomendou à justiça que deixe o mérito do processo ser disputado, para que as argumentações de cada lado sejam bem esclarecidas, antes de uma decisão.

A decisão final da Suprema Corte sobre o caso, que deveria ser tomada até o final deste mês, no entanto, deve ser definida apenas em julho, sem data de publicação do parecer ainda definida.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor