Gartner estima queda de 9,5% nas vendas mundiais de PCs no segundo trimestre

Negócios

A consultoria internacional anunciou que as vendas mundiais de PCs totalizaram cerca de 68,4 milhões de unidades no segundo trimestre de 2015, o que representa uma queda de 9,5% na comparação com o mesmo período de 2014.

A consultoria internacional anunciou que as vendas mundiais de PCs totalizaram cerca de 68,4 milhões de unidades no segundo trimestre de 2015, o que representa uma queda de 9,5% na comparação com o mesmo período de 2014.

Esse foi o maior declínio desde o terceiro trimestre de 2013 e ainda estima-se que as vendas cairão cerca de 4,4% este ano. “O aumento dos preços dos computadores ficou mais evidente em algumas regiões, devido à forte valorização do dólar norte-americano em relação às moedas locais, uma elevação que poderia prejudicar a demanda nessas áreas”, explicou a analista-chefe
do Gartner para o mercado norte-americano de PCs e dispositivos para o consumidor final, Mikako Kitagawa.

Para ela, o mercado de PCs em todo o mundo experimentou um crescimento bastante positivo em computadores de mesa no ano passado, como consequência do fim do suporte ao Windows XP. “Com o lançamento do Windows 10, programado para o terceiro trimestre agora de 2015, criou-se um controle de inventário autorregulado, já que os fornecedores de PCs e os canais tentaram eliminar o máximo de estoque possível antes da chegada do novo sistema”, ressalta.

Os analistas da consultoria enfatizam que estes inibidores são eventos temporários e que não alteram, pelo menos por enquanto, a estrutura do mercado de PCs. Ainda que a indústria esteja enfrentando um período de queda, a expectativa é de que o setor volte estabeleça um crescimento em 2016.

A chinesa Lenovo, por exemplo, manteve a primeira posição nas vendas mundiais de PCs nos meses de abril, maio e junho, mas a empresa sofreu um declínio em relação ao mesmo período do ano passado pela primeira vez desde 2013. Já a norte-americana Dell, número dois no mundo, experimentou pelo segundo período consecutivo, uma queda nesse mercado.

Nos Estados Unidos, as vendas de PCs totalizaram 15,1 milhões de unidades no segundo trimestre de 2015, uma queda de 5,8% em relação ao mesmo período do ano passado. A HP manteve o primeiro lugar de vendas no país no período, apesar de apresentar uma queda de 10,1%. A Dell diminuiu a diferença com a HP em comparação com 2014. Entre as cinco principais distribuidoras dos Estados Unidos, a Lenovo foi a única a apresentar um aumento na venda em relação ao último ano.

As vendas de PCs na Ásia e no Pacífico atingiram 24,2 milhões de unidades no segundo trimestre de 2015, uma queda de 2,9% em relação ao mesmo período do ano anterior. Já as vendas na Europa, no Oriente Médio e na África (EMEA, na sigla em inglês) totalizaram 18,6 milhões de unidades no segundo trimestre de 2015, uma queda de 15,7% em relação ao mesmo período do ano passado. “Os resultados na EMEA apresentaram variações entre países”, afirma analista-chefe de pesquisas do Gartner na Fraça, Isabelle Durand.

O mercado de PCs desacelerou na Europa Ocidental e na Eurásia. Nesta última, tanto a Rússia como a Ucrânia (os maiores mercados da região) continuaram lutando contra as fortes quedas nas vendas. A HP manteve a primeira posição na EMEA. Todos os integrantes do ranking dos cinco maiores distribuidores da região apresentaram queda, causada principalmente pela diminuição das unidades de mesa e pelo abrandamento nas compras do consumidor.

“Os fornecedores passaram grande parte do trimestre lidando com níveis de estoque elevados. Eles tentaram esgotar seus estoques por meio de promoções, resultando em margens menores. Esperamos ver melhores números no terceiro trimestre de 2015, impulsionados pelo lançamento de novos dispositivos com base no Windows 10”,


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor