Gartner indica que IoT vai fomentar novos fornecedores de software

Gestão de RedesHOMEInovaçãoMobilidadeRedesSoftwareVestíveis

A consultoria internacional anunciou nova pesquisa que apontam o papel da Internet das Coisas (IoT, na sigla em inglês) ao transformar diversos fabricantes em novos fornecedores de software, que necessitam de soluções de Licenciamento e Gestão de Direitos (LEM, na sigla em inglês) para seus negócios.

O movimento de deslocar o valor investido em hardwares para aplicar em softwares que utilizam em dispositivos, O Gartner sinaliza que as empresas, dessa forma, desenham uma estratégia de licenciamento classificada como “adequada”.

Além disso, com essa prática crescente de tirar um pouco do foco no hardware para intensificar as atenção aos softwares, os estrategistas de fabricação de produtos podem maximizar o potencial dos valores de receita angariados no mercado global.

“A IoT está criando um novo tipo de fornecedor de software, para o qual o Licenciamento e Gestão de Direitos é vital para proteger, diferenciar e monetizar suas ofertas”, afirma a diretora de pesquisas do Gartner nos Estados Unidos, Laurie Wurster.

“Esperamos que, até 2020, deixar de empregar um sistema de LEM resulte em uma queda de 20% no potencial de receita gerada por software para fabricantes de dispositivos conectados à IoT”, complementa.

A consultoria destaca que inúmeros fabricantes ainda aplicam processos tradicionais para seus produtos e não consideram as oportunidades de receita adicionais de software e aplicativos incorporados controlados por licenciamento.

A maioria dessas empresas são novas fornecedoras de software, principalmente fabricantes de dispositivos e de equipamentos originais, que agora, no entendimento da pesquisa, podem monetizar seu software, bem como os dispositivos, por meio da IoT, o que neste momento, pode representar uma nova oportunidade comercial com resultados significativos.

“Ao monetizarem o software em seus dispositivos, os fornecedores poderão aumentar e propulsionar fontes de receita, criando bilhões de dólares em valor adicional. A estimativa é de que existam mais de 25 bilhões de ‘coisas’ no mercado. Se os fabricantes pudessem coletar, em média, US$ 5 por software de cada unidade instalada, isso geraria uma receita adicional estimada em US$ 130 bilhões”, finaliza Laurie Wurster.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor