Montadoras alemãs podem comprar negócio de mapas digitais da Nokia

MobilidadeNegócios

Um consórcio formado por Audi, BWM, e Daimler pode estar prestes a fechar um negócio de US$ 2,71 bilhões pelo serviço HERE Maps da Nokia.

A informação foi apurada pelo The Wall Street Journal, que publicou uma matéria detalhando os planos das montadoras para estabelecer uma aliança com outros fabricantes de automóveis para viabilizar o negócio.

A estratégia faz sentido. Hoje, não existe um padrão único usado pela maioria da indústria para sistemas de geolocalização, o que encarece bastante o custo dos sistemas embarcados e causa aberrações como a falta de atualizações regulares. A Nissan ficou mais de um ano sem atualizar seus mapas nos EUA. No Brasil, existem veículos modelos 2015 que vêm com mapas de 2012.

Com uma base de dados de geolocalização sólida e um sistema de navegação único e de qualidade, as montadoras se libertariam da dependência de terceiros e conseguiriam atender muito melhor seus clientes. A tecnologia da Nokia é madura e seria bom para a finlandesa vendê-lo, para capitalizar o muito bem sucedido negócio de infraestrutura e, quem sabe, uma volta ao mercado de dispositivos móveis.

Só no ano passado, a Nokia faturou € 970 milhões com o licenciamento do HERE Maps para terceiros, o que mostra a saúde do negócio. Por isso mesmo, a empresa tem avaliado com calma recentes ofertas que recebeu. Uber e Baidu tentaram uma aproximação para compra, mas sem sucesso.

Especula-se no mercado que uma possibilidade seria a venda parcial do negócio, com a Nokia retendo uma participação. Nem o consórcio das montadoras alemãs nem a Nokia comentaram oficialmente o assunto.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor