Samsung lança nova linha de tablets focada em consumidor mais exigente

4GEmpresasHOMEMobilidadeNegóciosTablets

A fabricante sul coreana revelou hoje a jornalistas os novos aparelhos batizados de Galaxy Tab A e Galaxy Tab E, nos escritórios da sua sede brasileira, em São Paulo.

Com foco em um consumidor classificado como “mais exigente e engajado no uso de telonas”, a empresa deve distribuir até o final do mês os modelos das famílias Tab A, intermediária, com conexão 4G e 2GB de memória RAM e a linha E, classificada como um low-end, linha de entrada que têm preços iniciais na casa dos R$ 549, em seu modelo mais simples.

O diretor de produtos móveis da fabricante no Brasil, Roberto Soboll, indica que os novos modelos têm todos “preços agressivos, além de marcar assumidamente o abandono definitivo de hardwares que não sejam quad-core”.

O executivo ressalta que os consumidores já estão acostumados com melhores atributos como uma memória RAM robusta – o que faz o sistema operacional fluir de maneira mais natural – câmeras com resolução considerável e um preço que não seja exorbitante.

Para o gerente sênior de tablets da Samsung Brasil, Renato Citrini, as funções já incorporadas em diversos equipamentos lançados pela marca, foram “repensadas” para equipar os novos modelos Tab A.

Concebido para formar um portfólio intermediário, ou seja, abaixo da linha S, premium, os modelos de 8 e 9,7 polegadas são equipados com conexão 4G e custam a partir de R$ 1349, até R$ 1649, variando de acordo com seu tamanho e conexão.

Todos os modelos dessa família são equipados com uma caneta S Pen, como os conhecidos modelos Tab Note e Galaxy note. Citrini explica que as funcionalidades foram baseadas na utilização do consumidor, que foi estudado pela Samsung.

“A gente percebeu que os usuários gostam de usar o tablet como um caderno ou um livro, por isso posicionamos as teclas e customizamos as funcionalidades da interação device/caneta, para que as funcionalidades obedeçam esse tipo de predileção do nosso cliente”, explica.

A Samsung revelou também que ambas as famílias miram em novas tendências reveladas pela IDC Brasil. A primeira é que já existe um amadurecimento deste mercado e por isso, uma tendência maior de compra focada na conectividade. “Se antes os consumidores adquiriam o modelo mais barato ou mais acessível, hoje ele já sabe para que utilizar um tablet e ele quer utilizar em todo lugar, por isso trouxemos o 4G para os Tab A e 3G para os Tab E”, revela o gerente de tablets.

A segunda tendência sinaliza que deve crescer a demanda por pranchetas sensíveis ao toque providas de telas maiores, assim como já ocorre nos smartphones. “Se antes uma tela de 3 e 3,5 polegadas satisfaziam os consumidores, hoje eles procuram no mínimo um display de 4,5 polegadas entre os smartphones. Os tablets não são diferentes, telas de 7 polegadas já são consideradas pequenas, apesar de ainda venderem bem. Por isso, o menor modelo da linha A já vem com 8 polegadas”, completou o diretor de mobile, Roberto Soboll.

A segunda linha, dos modelos Tab E, considerados de entrada, têm apelo familiar e pretende conquistar os consumidores infantis. Providos de “modo infantil”, para que pais monitorem a navegação por apps e pela web, o produto tem preços que partem de módicos R$ 549, ao teto de R$ 1049.

Os aparelhos são embarcados com telas de 7 e 9,6 polegadas e variam de preço de acordo com o tamanho do display e sua conexão, com um equipamentos que só utiliza Wi-Fi ou híbridos capazes de se conectar a redes 3G.

Alguns, dos sete modelos já estão no varejo desde o início de julho e uma segunda parcela chega ao mercado até o final deste mês, junto com acessórios como capas S View, feitas sob medida para todos os modelos, além de um teclado, fones de ouvido bluetooth e também modelos de power banks, todos fabricados pela própria Samsung.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor