Sonda foca estratégia em Cidades Inteligentes para dinamizar serviços públicos

GestãoInovaçãoProjetosSetor Público
0 11 Sem Comentários

A Sonda, uma das maiores integradoras latino-americanas de soluções de Tecnologia da Informação (TI), anunciou sua estratégia para atender ao conceito de Cidades Inteligentes. O objetivo da companhia é amarrar suas diferentes ofertas, já utilizadas em várias cidades com sucesso, em um conceito único e coeso.

Segundo Antonio de Arimateia, gerente de desenvolvimento de negócios da Sonda Utilities, divisão que lidera o tema Cidades Inteligentes (Smart Cities) dentro da Sonda, a companhia se difere em sua proposta por ser uma integradora detentora de um portfólio completo e o mais aderente a projetos desta natureza.

“A aplicação da tecnologia para atender a iniciativas de Cidades Inteligentes envolve infraestrutura de TI e aplicativos, passando por serviços de consultoria para definição de processos de negócios, integração de sistemas, comunicação e gestão eficientes, resultando numa oferta abrangente e altamente especializada”, explica o executivo, que foi contratado para alavancar esta estratégia da Sonda no Brasil.

A aposta neste mercado se tornou corporativa e se baseia nos casos de sucesso da companhia tanto no Brasil quanto fora dele. Para dar sustentação à oferta, a Sonda reúne desde as soluções de gestão específicas para o setor de Utilities, que integra o leque de produtos próprios da Sonda, passando pelas iniciativas promovidas pelos parceiros, como SAP e Cisco, que apresentam software e equipamentos, respectivamente, para este movimento de Cidades Inteligentes, unindo tudo isso com os serviços prestados pela integradora.

Os casos de sucesso da companhia são referências que irão alavancar sua estratégia. Entre os projetos estão o de Redes Inteligentes (Smart Grid) de energia no Brasil, desenvolvido para a Elektro, o de Mobilidade Urbana desenvolvido no Chile, denominado Transantiago, assim como o de Segurança Pública no Uruguai.

“Queremos desenvolver no País uma proposta de gestão eficiente e de atendimento às demandas da sociedade, que pode envolver desde os serviços públicos, como saúde, segurança e educação, assim como projetos público-privados, que englobam transporte, energia, saneamento e gás, chegando até mesmo a uma oferta de solução para serviços macro estruturantes, tais como planejamento, finanças,obras e desenvolvimento econômico, por exemplo”, detalha Arimateia.

No Brasil, a referência dentro do conceito de Cidades Inteligentes é o projeto de Smart Grid implementado em São Luiz do Paraitinga, no interior do Estado de São Paulo, pela Elektro. Ao todo, 5,5 mil habitantes passaram a contar com medidores digitais em suas residências e os sistemas da Sonda foram desenvolvidos para transmitir os dados referentes ao processamento das informações de consumo e faturamento, além de realizar a gestão de serviços de campo, a partir da utilização de tecnologias móveis. Esta mudança traz um modelo mais próximo de relacionamento entre a Elektro e seus consumidores.

No caso da Transantiago, no Chile, a Sonda opera um dos maiores projetos globais de mobilidade urbana, proporcionando a integração dos meios de pagamentos e a gestão de frotas entre os diferentes transportes de Santiago. A cobertura contempla 6,4 mil ônibus, 30 milhões de cartões e 6,5 milhões de transações por dia. Além da integração de tarifas e o pagamento automatizado, faz parte do projeto a reestruturação da rede viária e o estudo do impacto ambiental. O mesmo projeto foi adotado pelo sistema de transportes do Panamá.

Na área de Segurança Pública, a Sonda desenvolveu em Montevideu, no Uruguai, o programa Cidade Segura. O sistema reduziu a criminalidade em 60% na área denominada “Cidade Velha”, uma das zonas turísticas da capital, e em 49% de toda a cidade. O projeto inclui a instalação de câmeras de vídeo de alta resolução e de softwares inteligentes que identificam comportamentos atípicos das pessoas para ativar um sistema de alarme ligado à polícia.

“Na prática, a iniciativa da Sonda para alavancar o conceito de Cidades Inteligentes no Brasil é utilizar suas referências locais e regionais para propor projetos que já contam com resultados práticos para a população, proporcionando um retorno mais rápido e seguro do investimento realizado, visto que a Sonda já detém expertise suficiente e soluções aptas para este movimento”, finaliza Rivaldo Ferreira, diretor executivo da Sonda Utilities.