Waze iniciará programa piloto com testes de aplicativo de caronas em Israel

AppsGestãoLegislaçãoMobilidadeNegóciosStartup

A companhia de mapas de propriedade do Google, deve lançar um programa piloto de caronas em Israel, onde os usuários poderão pagar a motoristas uma pequena taxa por uma carona para os itinerários de ida e volta do trabalho.

O novo aplicativo, chamado RideWith, vai acessar a plataforma de navegação construída pelo Waze, para aprender as rotas mais frequentes utilizadas pelos motoristas – e agora usuários.

Esse banco de dados é que servirá de base para combinar os caminhos que os usuários lançam mão para ao trabalho e combiná-las com as rotas de outras pessoas que buscam uma carona na mesma direção.

“Estamos conduzindo pequenos testes privados na região de Tel Aviv para um conceito de caronas, mas ainda não temos nada além disso para anunciar neste momento”, informou o aplicativo em comunicado sobre a sua nova investida, no cada vez mais competitivo, mercado de caronas.

Os motoristas serão limitados a apenas duas viagens por dia e não poderão receber um salário do RideWith, diferentemente de negócios como o aplicativo norte-americano Uber, pelo qual os motoristas podem obter lucro e que tem causado grandes protestos de taxistas ao redor do mundo, rendendo polêmicas especialmente na França e no Brasil.

Caso o RideWith seja lançado globalmente após o período de experimentação em seu país de origem, essa limitação pode ajudar a empresa a evitar a repressão que o Uber sofre pelo setor profissional de transporte de passageiros.

O Google comprou o Waze, que foi criado em Israel, por cerca de US$ 1 bilhão em 2013. O app utiliza sinais via satélite de usuários de smartphones para oferecer informação de trânsito em tempo real.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor