Baidu vs PSafe: afinal quem tem razão? [atualizado]

LegalRegulação

A PSafe diz que acusações de concorrência desleal lançadas pela Baidu são totalmente falsas. A guerra aberta entre as duas companhias continua deflagrando, e apesar de a PSafe acreditar que a justiça está do seu lado, é a Baidu quem sai vitoriosa desta ronda.

A empresa chinesa afirma que o PSafe Total, um antivírus para dispositivos móveis da concorrente, identifica seu aplicativo DU Speed Booster como sendo de “alto risco” para o usuário de um aparelho Android. Uma investigação feita pela Baidu, e referida pelo Tecmundo, indica que, quando o DU Speed Booster é instalado, o PSafe Total avisa o usuário de que o seu dispositivo pode estar sendo alvo de “ações possivelmente maliciosas”.

“A acusação de que PSafe age ou agiu de forma desleal é absolutamente inverídica”, disse a PSafe à imprensa, em resposta às acusações da Baidu. A PSafe acredita que a identificação feita pelo seu app antivírus do DU Speed Booster é legítima, tendo sido, diz a companhia, considerada como aceitável pelo juiz responsável pelo caso.

“A PSafe esclarece que até agora não foi formalmente intimada a respeito da ação judicial proposta pela Baidu”, apesar de a companhia chinesa já ter aberto um processo contra a rival na Justiça de São Paulo.

No final do dia de ontem, conta o IT Forum 365, a 11ª Vara de Justiça Cível determinou em favor da Baidu Brasil (Processo 1006564-47.2015.8.26.0100, em trâmite na 11ª Vara Cível do Foro Central de São Paulo). Assim, a PSafe será obrigada a remover os alertas de perigo acerca do aplicativo DU Speed Booster, o que deverá acontecer dentro de cinco dias.

No entanto, a PSafe se mantém determinada em provar que a Baidu é culpada de más práticas concorrenciais, e acusa a chinesa de omitir informações cruciais sobre o veredicto.

“…determino que, no prazo de 05 (cinco) dias, a BAIDU BRASIL INTERNET LTDA. promova a atualização do aplicativo “Du Speed Bustes”[sic], abrangendo os aplicativos que já foram adquiridos pelos usuários e aqueles que ainda não foram comercializados, para que (i) não identifique o aplicativo “PSafe Total” (ou qualquer outro aplicativo da PSAFE TECNOLOGIA S/A) como sendo de alto risco ou vírus, para que (ii) não dificulte o seu download e para que (iii) não estimule, de forma direta ou indireta, a sua exclusão (o que abrange a indicação de que o aplicativo seria de baixa utilização)”. Esse é o trecho da decisão do juiz que a PSafe alega que a Baidu, deliberadamente, escondeu do público.

“A PSafe analisará o teor da ação judicial tão logo seja intimada e tomará as medidas legais cabíveis contra a Baidu, não só para reestabelecer a verdade dos fatos como também para responsabilizar a Baidu por sua conduta desleal”, garante a companhia.

* Filipe Pimentel é jornalista da B!T em Portugal


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor