FDA recomenda que hospitais parem de usar equipamento suscetível a hackeamento

Segurança

O órgão norte-americano responsável pela regulação de medicamentos, equipamentos médicos e materiais biológicos emitiu um alerta para que hospitais e clínicas parem imediatamente de utilizar o sistema de infusão de medicamentos Symbiq, fabricado pela Hospira, por causa do risco de que hackers possam acessar o dispositivo e alterar a dosagem dos medicamentos, podendo administrar doses letais ou prejudicar o tratamento dos pacientes, colocando suas vidas em risco.

A fabricante Hospira, depois da denúncia de vulnerabilidade do equipamento, no final do primeiro semestre, encerrou a fabricação dessa linha de bombas infusoras de medicamentos, mas em nenhum momento admitiu que o motivo fosse esse.

De acordo com o FDA, a recomendação é que a linha Symbiq seja substituída o quanto antes, “devido a preocupações com cibersegurança.”

Até o momento, nem o órgão norte-americano ou a Hospira tiveram informações de algum caso de invasão digital dos equipamentos em uma situação de uso real.

Apesar da Hospira não produzir ou vender mais o sistema Symbiq, revendedores ainda possuem o equipamento em estoque. O FDA “desencoraja fortemente” a compra do dispositivo, mesmo de terceiros.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor