Huawei conduz teste de G.Fast no Reino Unido

Gestão de RedesOperadorasRedes

A Huawei, em colaboração com a operadora britânica BT, realizou o primeiro grande teste da tecnologia G.Fast no Reino Unido. Com a implementação dessa solução, a fabricante chinesa pretende aumentar a eficiência da transmissão de dados através de redes de cobre.

O teste foi conduzido sobre a infraestrutura de rede FTTC da BT e, segundo informações oficiais da Huawei, “demonstrou a viabilidade da tecnologia para que operadoras possam implantar redes de ultra banda larga de forma mais rápida e econômica”. Esse teste de larga escala abre caminho para o lançamento comercial e mais amplo da tecnologia G.Fast

O projeto se realizou em Huntington, uma cidade na região de Cambridgeshire (Inglaterra), recorrendo a tecnologia multi-port G.Fast, com resistência às mudanças de temperatura e à água. Para além dessa tecnologia, a Huawei forneceu também aquilo que, em nota, chama de uma “solução fim a fim” (end-to-end, na terminologia inglesa), o que significa que a companhia disponibilizou todo o hardware e software para dar resposta às necessidades que o projeto pretendia mitigar. Adicionalmente, essa solução inclui um terminal de linha ótica, um terminal G.Fast e um sistema de administração da rede.

Dizem fontes autorizadas que ficou a cargo da Huawei o fornecimento de uma solução remote power, para um gerenciamento mais ágil e eficiente, e “a implantação comercial da fibra para o nó remoto (FTTRN, na sigla em inglês) ”.

A G.Fast é um padrão de tecnologia de comunicação essencial para incrementar a capacidade de transmissão de dados das redes, e tem sido alvo de fortes investimentos por parte da Huawei, que, em 2011, lançou seu primeiro protótipo baseado nessa tecnologia. A G.Fast consegue oferecer velocidades de transmissão de até 1 GB por segundo, sendo que um desempenho otimizado é conseguido em redes pouco amplas.

Diz a companhia que está desenvolvendo diversas soluções G.Fast para dar resposta às necessidades de transmissão de dados das operadoras, a nível global.

* Filipe Pimentel é jornalista da B!T em Portugal


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor