Lenovo vai despedir mais de 3 mil trabalhadores após queda nos lucros

GestãoResultados

A desaceleração da economia chinesa parece ter feito mais uma vítima. A Lenovo registou uma quebra de 51 por cento nos lucros trimestrais e anunciou que vai despedir cerca de 3.200 trabalhadores.

É o pior momento da gigante tecnológica nos últimos 18 meses, segundo refere a agência Bloomberg. Também as receitas deixaram muito a desejar, ficando nos 10,7 bilhões de dólares, abaixo da média de 11,5 bilhões de dólares estimada pelos analistas.

“Este foi o trimestre mais duro desde 2008” para o mercado de computadores, explicou em entrevista à Bloomberg Kirk Yang, analista no Barclays Plc.

As ações da empresa derraparam 5,4 por cento, atingindo o valor mais baixo desde fevereiro de 2014. Já ao longo deste ano as ações tinham caído cerca de 21 por cento.

Num comunicado enviado à bolsa de valores de Hong Kong, a Lenovo afirmou que vai acabar com 3.200 postos de trabalhos – cerca de 5 por cento da força de trabalho da empresa em todo o mundo. Com esta reestruturação, a tecnológica espera poupar 1,35 milhões de dólares por ano.

Face à dimunuição da procura mundial por computadores pessoais, a companhia tem vindo a diversificar as suas atividades, nomeadamente no setor de smartphones. Neste sentido, a Lenovo fez aquisições no valor de 5 bilhões de dólares só o ano passado, incluindo a compra da Motorola à Google por cerca de 2,9 bilhões de dólares.

A Bloomberg diz ainda que a empresa quer colocar o foco no negócio de smartphones fora da China, onde os vendedores “se estão a comportar de forma irracional”, segundo diz Alberto Moel, analista da Sanford C. Bernstein.

* Teresa Sousa é jornalista da BIT em Portugal


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor