Prorrogadas as inscrições para o III Prêmio Brasil-Alemanha de Inovação

InovaçãoInvestigação

Foram prorrogadas até 12 de setembro as inscrições para o Prêmio Brasil-Alemanha de Inovação (PBAI). O prêmio é uma iniciativa da Câmara de Comércio e Indústria Brasil-Alemanha de São Paulo para aumentar a visibilidade e a articulação de empresas inovadoras, fomentando negócios e parcerias.

O objetivo é identificar e reconhecer produtos e processos inovadores desenvolvidos por empresas brasileiras e alemãs instaladas no Brasil, além de catalisar oportunidades que promovam a relação Brasil-Alemanha, avança o Ministério no seu site.

As inscrições são gratuitas e vão até o dia 12 de setembro no sitewww.inobrasilalemanha.com.br 

Os projetos serão avaliados pelo seu grau de inovação e por aspectos como ineditismo, impacto na empresa, na sociedade e no meio ambiente, assim como possíveis relações com empresas e instituições alemãs utilizadas para o seu desenvolvimento. Este ano, o prêmio conta com duas categorias:

– Categoria Desafio: empresas brasileiras ou alemãs instaladas no Brasil, que tenham desenvolvido projeto de inovação tecnológica, produto ou processo, voltado para geração e uso eficiente de energia. Nesta categoria, poderão se inscrever empresas de todos os portes.

– Categoria Startups e PMEs: empresas brasileiras ou alemãs instaladas no Brasil, que tenham desenvolvido projeto de inovação tecnológica, produto ou processo, cujos resultados impactaram significativamente o negócio e/ou a sociedade. Nesta categoria, poderão se inscrever somente empresas com faturamento até R$ 60 milhões/ano.

O anúncio das vencedoras será no dia 12 de novembro, após o Seminário Brasil-Alemanha de Inovação.

Cooperação

O ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação do Brasil, Aldo Rebelo, e o vice-ministro de Educação e Pesquisa da Alemanha, Georg Schütte, firmaram, no dia 20 de agosto, cinco acordos bilaterais para estimular a cooperação entre os dois países em bioeconomia, pesquisa marinha e terras-raras, além de garantir a continuidade da parceria em torno do Observatório da Torre Alta da Amazônia. Os acordos também preveem o lançamento de editais em educação, ciência, tecnologia e inovação.

“Celebramos com a Alemanha o nosso mais ambicioso acordo em tecnologia, nos anos 1970, na área nuclear. Sei que hoje a Alemanha já não julga essa tecnologia tão decisiva, mas quero dizer que deveríamos manter, para os novos projetos, a mesma ousadia e a mesma ambição daquela cooperação, dignas do papel dos nossos países, tendo como lastro e fiadora essa trajetória. Hoje, nós assinamos atos que nos mantêm nesse caminho”, disse o ministro Aldo Rebolo, na ocasião.

Os acordos foram assinados durante visita da chanceler alemã Angela Merkel ao Brasil.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor