Relatório da IDC revela que poucas empresas têm uma estratégia de nuvem madura

Cloud

Grande parte das organizações já utiliza a cloud, ou pretende implementá-la, em alguma de suas formas. No entanto, apenas 25 por cento das mesmas consegue alcançar um certo nível de maturidade, sendo que somente uma em cada cem tem uma estratégia otimizada. Ainda assim, metade das empresas espera que a cloud contribua para o aumento de suas receitas nos próximos dois anos.

Tais conclusões podem ser verificadas na pesquisa “Não fique para trás: as vantagens empresariais de uma maior adoção à Cloud”, realizado pela International Data Corporation (IDC) e patrocinado pela Cisco.

Segundo o estudo, a adoção da nuvem está em expansão, mas poucas organizações implementam estratégias avançadas. É igualmente revelado que a cloud se está convertendo em uma plataforma-chave de crescimento e inovação e que as nuvens privadas e híbridas e os sectores estão a obter os maiores benefícios.

“Embora a nuvem tenha já um grande impacto na transformação das TI, estamos entrando em uma segunda vaga de adoção, onde as organizações se centram nos benefícios empresariais e na maior segurança, rendimento e controlo oferecidos pelas nuvens privadas e híbridas. Assim, são exigidas estratégias maduras e fornecedores comprovados, com a capacidade de garantir que as cargas de trabalho corretas são atribuídas aos recursos adequados”, diz, em comunicado, Nick Earle, vice-presidente sénior do segmento de vendas do serviço cloud.

Robert Mahowald, vice-presidente de SaaS e cloud na IDC, refere no mesmo documento que “diversos estudos feitos pela IDC têm revelado que as organizações avançadas em cloud obtêm maiores benefícios empresariais, incluindo a melhor alocação de recursos de TI, maior flexibilidade, geração de receitas, redução de custos e melhor prestação de serviços. Esses benefícios aumentam à medida que se avança na curva de adoção da cloud, daí iniciativas como o Cisco Business Cloud Advisor poderem ajudar as organizações a avaliar seu nível de maturidade e melhorar sua capacidade para avançar em sua estratégia cloud”.

* Catarina Gomes é jornalista da B!T em Portugal


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor