Rio de Janeiro quer restringir o serviço Uber

AppsMobilidade

A Prefeitura do Rio de Janeiro votou contra os serviços de partilha de carros não regularizados. Para que a decisão passe a ser lei terá ainda de ser aprovada e assinada pelo prefeito da cidade, Eduardo Paes, num prazo de 15 dias.

A Uber Technologies referiu, em comunicado, que o serviço continuará operando normalmente na cidade, afirmando que a votação recai somente sobre a Uber e não sobre os serviços digitais de transporte na sua generalidade.

De acordo com a Reuters, a votação, que conta com 42 votos a favor e um voto contra, pretende banir os condutores da Uber, pelo que define que apenas os carros regulados pela cidade terão permissão para conduzir e recolher clientes na cidade carioca.

Segundo a agência de notícias, caso a lei seja aprovada e os condutores sejam apanhados a infringir a lei, terão de pagar uma multa de cerca de R$ 1,96 mil.

O Rio de Janeiro não é a primeira cidade brasileira a tentar banir a Uber, sendo que São Paulo e Brasília também pretendem o mesmo, tal como outras cidades dos EUA, Índia e Europa.

A B!T contactou a Prefeitura do Rio de Janeiro sobre a situação, mas não obteve resposta.

* Catarina Gomes é jornalista da B!T em Portugal


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor