Serviços de TV paga crescem (mas pouco) no Brasil

Redes

O volume de clientes de TV paga aumentou em julho. Depois de três meses consecutivos de quedas, parece que os brasileiros estão investindo de novo neste serviço.

O crescimento, tímido, do número de clientes de televisão por assinatura foi de 0,16 por cento, comparando com junho. Esse aumento foi de 2,9 por cento quando comparado com julho de 2014. Os dados foram avançados pela Anatel.

No entanto, essa escalada não foi suficiente para superar os valores alcançados no mês de março, altura em que a base de clientes de TV paga do Brasil chegou perto dos 19,763 milhões. Em julho, esse número ficou nos 19,638 milhões de subscritores.

O panorama econômico do Brasil não é o mais propício ao crescimento dos negócios, seja em que setor de atividade for, e os analistas defendem, segundo a agência Reuters, que os serviços de TV paga são considerados bens de segunda categoria, caprichos, pelo que são dos primeiros serviços a ser abandonados pelos consumidores quando o orçamento encurta.

A Anatel revela que, ainda em julho, o mercado da fibra ótica cresceu perto de cinco por cento, face ao mês anterior, chegando a 136,096 mil brasileiros. Também o segmento da TV por cabo cresceu, embora somente 0,4 por cento. Já os serviços prestados através de satélite caíram 0,05 porcento, de junho para julho.

* Filipe Pimentel é jornalista da B!T em Portugal


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor