Sony quer oferecer serviço de drones já em 2016

InovaçãoMobilidade

A Sony quer disponibilizar serviços comerciais de drones a partir da primeira metade do próximo ano. A construção, a logística e a agricultura serão os setores de atividade abrangidos pelo novo serviço.

A empresa japonesa disse hoje à imprensa de Tóquio que, através da Aerosense, sua joint-venture com a especialista em robótica ZMP, serão fabricados drones que operam autonomamente, recolhendo imagens de alta qualidade e as enviando para plataformas cloud para análise. Citado pela Bloomberg, o CTO da Aerosense, Kotaro Sabe, afirmou que se espera um total de vendas de cerca de US$ 81,8 milhões até 2020.

Ciente de que seus smartphones Xperia não estão a ter o sucesso desejado, a Sony está procurando novas aplicações para suas tecnologias móveis, seja em termos de comunicação ou de captura de imagens, e o mercado dos drones, cada vez mais forte e fértil, parece ser o principal foco.

Se estima que, somente nos Estados Unidos, a indústria dos veículos aéreos não tripulados atinja os US$ 82 bilhões até 2025, e atraiu já a atenção e investimentos de companhias como a Google, a Qualcomm e a Amazon. Apesar do grande potencial, o mercado dos drones não está ainda devidamente legislado e seu crescimento é atenuado por preocupações relacionadas com a privacidade.

O responsável pela área mobile da Sony, Hiroki Totoki, disse, segundo a agência noticiosa, que, por si só, o smartphone não consegue fazer crescer o negócio, pelo que a exploração do mercado dos drones poderá ser essencial para alavancar o segmento da mobilidade e as tecnologias que o compõem.

* Filipe Pimentel é jornalista da B!T em Portugal


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor