TIM Brasil registra lucro líquido de R$ 290 milhões durante o segundo trimestre

EmpresasGestãoGestão de RedesNegóciosOperadorasRedesResultados

A TIM Participações, subsidiária brasileira da Telecom Italia, anunciou lucro líquido avaliado em R$ 290,8 milhões durante o segundo trimestre, uma queda de quase 20,5% na comparação com o mesmo período do último ano.

Apesar de resultado pior do que em 2014, analistas de mercado previam um resultado ainda pior, de R$ 275 milhões, que não se confirmou.

Em abril, a operadora de telecomunicações concluiu a primeira parte do acordo de venda de torres para a operadora American Tower, envolvendo mais de 4 mil torres, vendidas por R$ 1,9 bilhão. Considerando o negócio, o lucro da TIM chegou a pouco mais de R$ 926 milhões no período.

Segundo apuração da agência de notícias Reuters, a receita líquida de abril a junho caiu 8,8%, com um faturamento que alcançou os R$ 4,4 bilhões, culpa de um recuo de 5% nas receitas de serviços e mais 28% da receita de produtos.

No relatório de resultados, a TIM citou uma redução na venda de aparelhos diretamente pela operadora, já observado também que esse mercado deve se estabilizar em todos os países dos Brics – Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul – até 2018.

O resultado financeiro da operadora aqui no País apresentou queda de 47,4%, negativo em R$ 38,22 milhões no período. O Ebitda (sigla em inglês para lucro antes dos juros, impostos, depreciação e amortização) caiu 4,4%, para R$ 1,2 bilhão.

O conselho de administração da tele elegeu o executivo de carreira Pietro Labriola para a vice presidência de Operações da companhia. A posse e o início das atividades ainda dependem da obtenção de visto brasileiro permanente para o profissional de longa data que dava expediente na matriz, em Roma, no distrito de Lazio, Itália.

Também na última semana, a agência Reuters indicou que a mudança do executivo para o Brasil faz parte de uma estratégia para reforçar a operação brasileira ajudar a recuperar os índices de vendas, já que os consumidores se comportam de maneira mais austera durante a crise política e econômica pela qual a nação atravessa.

Uma segunda tarefa de Labriola seria preparar a TIM para uma possível consolidação do mercado, ainda sem sinal de uma posição ativa ou passiva da companhia, durante o processo.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor