Wi-Fi Calling pode mudar comunicação por voz no estrangeiro

RedesVoIP

Os serviços de Wi-Fi Calling querem revitalizar a comunicação por voz, que, nos dias correntes, tem perdido terreno para alternativas, como as mensagens e as imagens. Um estudo da Ericsson revela que estas ferramentas e comunicação oferecem maior qualidade de áudio e uma maior velocidade de resposta do que a convencional conexão celular.

A pesquisa “Wi-Fi Calling encontra sua voz”, realizado pela unidade ConsumerLab da companhia sueca, indica que 50 por cento dos usuários brasileiros de smartphone está satisfeito com sua conectividade indoor. Por outro lado, somente um quinto dos usuários diz estar satisfeito com a qualidade, cobertura e estabilidade das comunicações por voz.

Isso nos diz que é necessário tirar partido da conectividade para incrementar a qualidade das chamadas de voz.

Em nota, a Ericsson diz que os viajantes brasileiros consideram a Wi-Fi um dos principais modos de conexão. A investigação revela que 83 por cento dos viajantes brasileiros que utilizam smartphone se liga a uma rede Wi-Fi sempre que pode. 77 por cento desses usuários escolhe ficar em hotéis que disponibilizem acesso Wi-Fi para seus hóspedes.

“Para os usuários de smartphone que viajam internacionalmente, estar livre para se comunicar sem a necessidade de planejamento antecipado ou depender de aplicativos de comunicação é algo que pode se tornar realidade com o Wi-Fi Calling”, comenta André Gualda, da ConsumerLab, em comunicado. Citando dados da pesquisa, o responsável diz que 70 por cento dos usuários abrangidos pelo estudo considera o Wi-Fi Calling um “conceito interessante”, sendo que “metade deles gostaria de usar o serviço nos próximos seis meses, caso ele já esteja disponível”.

Os usuários entrevistados, que viajam internacionalmente, apontam a independência de aplicativos de comunicação e a redução das taxas de roaming como os principais fatores diferenciadores dos serviços Wi-Fi Calling.

48 por cento dos usuários brasileiros ouvidos pelo ConsumerLab afirma que sua fatura de celular chegou a valores muito altos enquanto viajava no estrangeiro, devido a chamadas de voz e à utilização de dados. Para que isso não aconteça, 26 por cento dos usuários disse que desligava o celular ou o deixava em “modo avião” durante toda a viagem, o que, admitamos, não é nada prático. Para além disso, 52 por cento dos viajantes diz reduzir o número de chamadas de voz efetuadas quando está fora do país de origem.

“Os consumidores esperam uma forma de comunicação ininterrupta e aprimorada, além de apenas voz; portanto, chamadas via Wi-Fi terão de evoluir para acompanhar o comportamento e as expectativas em relação às novas formas de comunicação”, refere André Gualda.

* Filipe Pimentel é jornalista da B!T em Portugal


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor