Brasileiros passam 36% do tempo assistindo a conteúdo de TV e vídeos

InovaçãoInvestigação

O TV & Media, estudo produzido pelo ConsumerLab, área da Ericsson que há 20 anos estuda o comportamento dos usuários, tem nova edição lançada globalmente, com registros de hábitos de 680 milhões de consumidores.

Um dos resultados relevantes é que os serviços de vídeo sob demanda estão atendendo às necessidades dos espectadores atuais. O levantamento abordou consumidores com idades entre 16 e 69 anos, em 20 países, incluindo o Brasil.

O formato de transmissão sob demanda fez com que os consumidores mudassem seus hábitos de consumo de vídeo. Os usuários agora passam seis horas por semana assistindo à transmissão de TV, séries, programas e filmes sob demanda – o dobro do registrado em 2011.

Contudo, quando os conteúdos gravados ou baixados são adicionados a essa conta, a porcentagem chega a 35% no mundo. No Brasil, a porcentagem é bem próxima da mundial: os entrevistados brasileiros passam 36% do tempo diário destinado ao consumo de vídeos, assistindo a conteúdos sob demanda.

Outros resultados levantados pelo estudo destacam o crescimento do consumo de vídeo em dispositivos móveis. Hoje, 61% dos entrevistados usam seus smartphones para esse tipo de conteúdo – um aumento de 71% desde 2012.

Os adolescentes são a faixa etária que mais representa essa tendência: dois terços do tempo que os adolescentes passam assistindo TV e vídeos são gastos em tablets, notebooks e smartphones.

As plataformas de conteúdos gerados pelos próprios usuários (da sigla em inglês, UGC) também cresceram. Aproximadamente um em cada dez consumidores assiste ao YouTube por mais de três horas por dia, e um em cada três agora considera muito importante poder assistir esse tipo de vídeo em sua própria TV.

Além disso, o estudo constata que a crescente importância dessas plataformas, como o YouTube, resultou em um aumento da popularidade de vídeos educativos e instrutivos, que atingiram uma média de 73 minutos de visualização por semana.

Júlia Casagrande, gerente de Marketing da Ericsson na América Latina, ConsumerLab da Ericsson, diz que o crescimento contínuo de transmissão de vídeo sob demanda e dos serviços UGC reflete a importância de três fatores específicos para os telespectadores de hoje: bom conteúdo, flexibilidade e uma boa experiência.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor