IoT: Ericsson convida indústria a participar do licenciamento

HOME

A iniciativa da empresa de telecomunicações tem por objetivos unir forças para aprimorar a previsibilidade do licenciamento de patentes em dispositivos da Internet das Coisas (IoT, na sigla em inglês) e criar estrutura clara de direitos autorais em todo o setor para dispositivos IoT com uma função principal que não seja a conectividade sem fio.

Para a Ericsson, à medida que a sociedade conectada continua evoluindo, cada vez mais coisas se beneficiam de estarem conectadas por meio da tecnologia móvel, desde navios e carros a sensores de irrigação (IoT). Os padrões abertos de celular incluindo 3G e 4G/LTE orientaram o mercado de massas de dispositivos de comunicação, criando um mundo onde tudo pode se comunicar na mesma rede, colaborar e se interconectar.

A Ericsson afirma procura estabelecer um programa em que as patentes essenciais padrão sejam licenciadas de forma cooperativa e os termos de licenciamento sejam adaptados para refletir o uso, capacidade e importância da tecnologia sem fio essencial no dispositivo em questão.

O objetivo é criar um sistema previsível tanto para inovadores quanto para fabricantes de dispositivos da IoT. Segundo a empresa, o sistema de licenciamento visa dispositivos da IoT cobertos de forma eficiente por licenças de patentes necessárias. Além disso, aproveitará os benefícios da cobertura de celular global, com taxas de licenciamento fixas por unidade, que reflitam o valor da tecnologia de conectividade para o dispositivo.

Essa iniciativa, de acordo com a companhia, promoverá a adoção mais rápida de mais tipos de ‘coisas’, manterá os mercados competitivos e fornecerá mais opção para os consumidores, além de simplificar o uso emergente e acelerar a adoção de tecnologias de Área Ampla com Baixo Consumo de Energia (LPWA) baseadas em LTE em dispositivos da IoT.

“À medida que o mundo conectado continua evoluindo, os líderes de setores precisam avaliar modelos de negócio e decidir o que oferece maior valor às novas realidades que existem. Atualmente, conseguimos conectar coisas que nunca sonhamos que poderíamos antes e o potencial da IoT é enorme”, diz Kasim Alfalahi, Chief IP Officer na Ericsson.

Ele acrescenta que a nova plataforma de licenciamento conjunta da Ericsson garantirá o licenciamento de patentes, recompensando de forma justa e devida, empresas inovadoras que desenvolvam e compartilhem tecnologias que capacitem padrões ao inspirar e permitir que as empresas desenvolvam mais oportunidades em nossa vida de conexão e comunicação.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor