Rio Digital levará banda larga para todo o estado até 2018

HOMEMobilidade

Com a proposta de criar uma rede própria de voz e dados de alta qualidade, capacidade e disponibilidade a partir de recursos vindos de parcerias público-privadas, o projeto Rio Digital pretende garantir acesso à banda larga e serviços básicos para cidade inteligente em todos os 92 municípios do estado do Rio de Janeiro até 2018.

Antonio-Jose-Almeida-Bastos-300x272Com a proposta de criar uma rede própria de voz e dados de alta qualidade, capacidade e disponibilidade a partir de recursos vindos de parcerias público-privadas, o projeto Rio Digital pretende garantir acesso à banda larga e serviços básicos para cidade inteligente em todos os 92 municípios do estado do Rio de Janeiro até 2018. O projeto, desenvolvido pela Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação (SECTI), em parceria com o Proderj e a Faperj, ainda está em fase de elaboração. A previsão, segundo Antônio Bastos, presidente do Proderj é de que até o início do próximo ano seja definida a forma de sua aplicação.

Durante o Rio Info 2015 será apresentado como parte da programação do painel Governo Digital, coordenado pelo Proderj. Segundo Bastos, o projeto tem sido elaborado com base em diversos estudos comparativos de redes nacionais e internacionais bem sucedidas, que servirão como modelo para seus requisitos.

Com a rede própria os municípios do Rio poderão melhor atender às necessidades de setores públicos como a saúde, educação, transporte e segurança, por exemplo, com maior eficiência e transparência. “A velocidade que hoje é de 2 Mbps em escolas e 10 Mbps em hospitais, com estimativa de se tornar superior a 200 Mbps, chegando a 1 Gbps em pontos estratégicos como, por exemplo, hospitais que venham a realizar telemedicina”.

Para Bastos, a baixa qualidade e o alto custo de serviços de telecomunicações ofertados atualmente no Brasil ainda dificultam a plena inclusão digital. “Atualmente, temos distritos de alguns municípios do estado do Rio onde não há acesso à Internet. O cidadão que trabalha em uma cidade próxima, quando volta para casa, está desconectado do mundo. Essa é uma realidade que temos que mudar e fazer com que a inclusão social aconteça por meio da inclusão digital”.

Bastos também destacou a importância de dar condições de infraestrutura a todo estado para permitir que sistemas inteligentes possam ser implantados nas cidades, como videoconferências, monitoramento remoto, rede wi-fi em locais públicos, sistemas de apoio à gestão em parceria com as prefeituras, entre outros serviços básicos.

O projeto poderá viabilizar, ainda, uma série de benefícios para o desenvolvimento social e econômico dos municípios por meio da geração de investimentos do setor público e privado e pela demanda de novas soluções de TI, uma grande oportunidade para empresas do setor.

Ações do Proderj no Rio Info

A programação do Governo Digital, painel coordenado pelo Proderj, contará ainda com a apresentação de cases de sucesso do uso de TIC no setor público como o e-Cidade, projeto de informatização da cidade de Niterói, além da implementação do processo digital no estado do Pará pela Empresa de Processamento de Dados do Estado do Pará (Prodepa).

Também serão debatidas as principais tendências do armazenamento e processamento de dados no setor público por meio do uso de big data e de dados abertos, conceito incentivado pelo Open Data Institute, organização que apoia a oferta e livre uso dos dados digitais.

Segundo Bastos, a participação do Proderj no Rio Info é mais que necessária por se tratar de um ambiente fértil para a concretização de novas parcerias a partir de ricas discussões sobre o setor. “É um privilégio para nós, termos o Rio de Janeiro, mais uma vez como cenário de um evento que discute temas e cases importantes na área de TIC”.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor