Será o PC a próxima grande aposta da Xiaomi?

EmpresasLaptopsMobilidadeNegócios

A chinesa Xiaomi, que dominava o mercado chinês dos smartphones até ser derrubada pela Apple, pode estar considerando o lançamento do seu primeiro laptop. O ingresso no setor dos computadores pessoais pode acontecer já no primeiro trimestre do próximo ano, defrontando a Apple num novo campo de batalha.

A estréia da Xiaomi no mercado dos PC deverá acontecer através de um notebook, de acordo com fontes próximas do assunto que falaram com a agência Bloomberg. Esse produto competirá com o MacBook da Apple e, também, com o ThinkPad da Lenovo. O notebook deverá apelar ao segmento premium do mercado dos PC.

A jovem companhia chinesa, com apenas cinco anos, esteve já envolvida em negociações com a Samsung, para o fornecimento de processadores de memória de seus dispositivos. Esse acordo pode se estender ao fornecimento de telas, dizem as fontes anônimas.

O sucesso da Xiaomi foi motivado pelo desenvolvimento de smartphones de design apelativo e com componentes de gama alta, vendidos a preço de dispositivos de linha média, o que levou a que alguns dos seus concorrentes asiáticos, como a sul-coreana Samsung, vissem suas quotas de mercado encolhendo.

Se a Samsung realmente se registrar como provedor de componentes para os notebooks da Xiaomi, a companhia criadora da família de smartphones Galaxy poderá fortalecer seu negócio, que já viu melhores dias.

Mas uma questão poderá surgir na mente dos leitores: se o mercado dos computadores pessoais tem vindo a cair, devido ao crescimento do mercado dos dispositivos móveis, será que a Xiaomi está dando um passo na direção correta?

Um levantamento do Gartner indicou que as vendas de PC caíram 9,5% no segundo trimestre de 2015, face ao mesmo período do ano passado. De abril a junho, foram apenas vendidos 68,4 milhões de computadores (desktops e laptops), o valor mais baixo dos últimos dois anos.

A Xiaomi chegou no Brasil no fim de junho, em parceria com a Foxconn, e seu primeiro dispositivo a pisar solo brasileiro foi o Redmi 2, um smartphone de gama média com um preço de R$ 499, que começou sendo vendido a 7 de julho no website da companhia.

* Filipe Pimentel é jornalista da B!T em Portugal


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor