Audiência pública debate neutralidade dentro do Marco Civil da Internet

Gestão de RedesRedesRegulação

A Comissão de Ciência e Tecnologia da Câmara dos Deputados realiza amanhã (6/10) audiência pública para discutir questões técnicas que serão utilizadas para delimitar exceções à neutralidade da rede, na regulamentação do Marco Civil da Internet (Lei 12.965/14). Entre os convidados estão o ministro das Comunicações e o presidente da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), João Batista de Rezende. 

Aprovado no ano passado pelo Congresso, o Marco Civil define direitos e deveres de usuários e provedores de internet. As regras gerais previstas na lei já estão em vigor, mas agora o governo discute a regulamentação de pontos específicos da norma.

O debate sobre o Marco Civil foi solicitado por meio de requerimentos dos deputados  Roberto Alves (PRB-SP); Eli Corrêa Filho (DEM-SP); Jorge Tadeu Mudalen (DEM-SP); JHC ((SD-AL); e Pastor Franklin (PTdoB-MG)

Um dos pontos mais polêmicos do texto do Marco Civil é a chamada neutralidade da rede. Com ela, usuários terão acesso a conteúdos mais diversificados, impedindo efeitos de filtro de conteúdo que são hoje aplicados pelos grandes provedores de conteúdo.

O deputado Roberto Alves, um dos autores do requerimento para o debate, afirmou que a audiência vai ajudar a esclarecer dúvidas sobre a regulamentação da lei. “O objetivo da audiência pública é entender melhor como funcionaria a questão de dados abertos no Brasil, lembrando que, desde quando foram abertos os dados nos EUA, criou-se um clima tenso. Nós queremos saber porque até hoje não está regulamentado.”

Na última quarta-feira (30), a Comissão de Defesa do Consumidor debateu o assunto e os membros do colegiado manifestaram preocupação com o prazo para a regulamentação e efetividade da lei.

Durante a audiência, debatedores defenderam que algumas exceções ao princípio da neutralidade da rede estejam definidas no regulamento, como o bloqueio de spams, que são mensagens não requisitadas pelo usuário e enviadas para um grande número de pessoas.

*Com informações da Agência Câmara


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor