Dell compra EMC na maior aquisição da indústria de TI

Negócios

Michael Dell não está para brincadeiras. Depois de há mais ou menos dois anos ter conseguido voltar a privatizar a empresa que fundou, ontem concretizou a compra da EMC, naquela é, agora, a maior aquisição na indústria de tecnologia.

O negócio está avaliado em cerca de 67 mil milhões de dólares e tem Michael Dell como  principal protagonista, coadjuvado pelo financiador Silver Lake, uma empresa de investimento.

Estão assim criadas as condições para o nascimento de uma super-empresa. Até porque seria complicado à Dell continuar a crescer apenas através da venda de computadores pessoais, negócio ao qual Michael Dell deu corpo há 30 anos.

Esta compra alia a Dell a um dos maiores nomes em armazenamento de dados de computador, somando-se às ofertas existentes como servidores de rede, softwares corporativos e dispositivos móveis.

“Continuamos a evoluir a empresa para as áreas mais relevantes, para onde a Tecnologia da Informação está se movendo”, disse Dell citado pela imprensa internacional. “Este negócio apenas acelera isso.”

Sob os termos do acordo, a Dell vai pagar o equivalente a 33,15 dólares por ação, um valor cerca de 27% mais alto do que o valor pelo qual as ações da EMC estavam a ser negociadas antes de, ontem, surgir a notícia do acordo.

Esta notícia veio um pouco “contra” a atual tendência de mercado. Se antes as mega-empresas eram as mais apetecíveis, ao que tudo indicada, hoje o melhor… é ser menor. Veja-se o caso da Hewlett-Packard (um dos nomes que se pensava estar na mira da Dell), que em novembro vai separar o seu negócio de serviços corporativos do braço de computadores pessoais. O EBay desmembrou seu negócio de pagamentos, o PayPal, de sua divisão principal no mercado de e-commerce este ano.

Especialistas dizem que, ao separar os negócios, haverá um maior foco dos administradores e acionistas o que deverá resultar em ações a um preço mais elevado para as novas empresas.

Aliás, a própria EMC já foi criticada pelos investidores pela criação da denominada  “Federação”, uma gama de negócios que abrange desde o armazenamento de dados em rede à gestão de conteúdos.

A EMC, que tem vindo a lutar num mercado onde o custo de armazenamento de dados caiu, tem a maior parte do valor da empresa na sua participação de 81% na VMware, fabricante de software de virtualização.

A Dell terá uma participação maioritária em uma VMware negociada publicamente, mas os seus proprietários insistiram que companhia permaneça fechada por algum tempo.

“Isso cria uma empresa líder mundial”, disse Dell. “A estrutura privada dá-nos uma enorme flexibilidade.”


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor