Organizações devem maximizar investimento em aplicações móveis

AppsMobilidadeNegóciosSegurança

As organizações devem maximizar o investimento em aplicações móveis para responder às expectativas dos utilizadores, diz o mais recente estudo da Accenture. O documento revela que quase 9 em cada 10 executivos reconhecem o valor das aplicações móveis para os seus negócios mas não estão a conseguir acompanhar esta tendência.

Intitulado Growing the Digital Business: Spotlight on Mobile Apps, o estudo defende que a gestão das aplicações durante todo o seu ciclo de utilização ajuda a evitar o mau desempenho das mesmas, e assim impedir a frustração por parte dos clientes e uma fraca experiência de utilização. Além disso, pode ainda evitar falhas de segurança. Metade dos inquiridos (49%) afirma que a segurança é o maior desafio enfrentado na gestão e desenvolvimento de aplicações móveis. Depois da segurança, o segundo maior desafio citado foram os problemas de desempenho, como quando a app deixa de funcionar e os bugs (37%) encontrados. No entanto, pouco mais de metade (55%) admite recorrer a qualquer correção de bugs ou ferramentas que monitorizem a situação para ajudar a ultrapassar o problema.

“As empresas não andam a prestar toda a atenção necessária ao mundo das aplicações. Nove em cada dez entrevistados afirmou reconhecer a grande procura dos clientes por aplicações móveis, mas no entanto metade dos inquiridos sentem que as apps não podem ser protegidas da melhor forma, e apenas 45% deles têm relatórios dos riscos” disse em comunicado Abhijit Kabra, responsável global pela área de aplicações móveis na Accenture Digital-Mobility.

“De forma a obter melhores resultados das suas aplicações, as organizações devem fazer testes rigorosos antes do seu lançamento e garantir uma boa gestão do seu funcionamento quando estas já se encontram implementadas. Isto não só ajudará a assegurar a melhor experiência possível aos utilizadores, como também a garantir que os desafios de segurança são tratados como uma prioridade constante. Descobrimos que muitas empresas negligenciam o desenvolvimento das aplicações já existente, arriscando-se a desperdiçar o investimento já realizado”, referiu ainda o executivo da Accenture.

Os executivos esperam que as aplicações desempenhem um papel importante no seu negócio, aumentando o seu valor.

No entanto, menos de metade dos inquiridos admite estar a tirar vantagem das apps para melhorar a sua eficiência. Apenas 46% relataram o uso de apps de produtividade, e apenas 44% estão a utilizar apps como um canal de vendas, serviços ou informações ao cliente. Outras apps que possam representar grandes benefícios operacionais para as empresas, tais como as de formação e colaboração são utilizadas apenas em 35% das organizações, embora mais 38% dos não utilizadores admita adotá-las no espaço de dois anos.

O relatório da Accenture é baseado num inquérito realizado junto de cerca de 2.000 decisores em todo o mundo. Este estudo conclui que durante o processo de desenho e criação de uma app, apenas 52% das organizações incluem o feedback dos utilizadores nos seus testes e só 48% utilizam relatórios de utilização ou analytics para analisar os problemas das apps em tempo real.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor