Tecnologia MasterCard substitui cartão físico pelo celular para pagamentos

InovaçãoMobilidadeSmartphones

A empresa de tecnologia com foco na indústria global de pagamentos passa a oferecer em solo nacional a sua mais recente tecnologia em tokenização para operar carteiras digitais, por meio do MasterCard Digital Enablement Service (MDES).

Segundo a MasterCard, a ferramenta irá revolucionar os meios de pagamento dos cientes, fazendo com que o consumidor precise portar apenas o seu celular para sair às compras, dispensando o cartão físico.

O Nubank, emissor MasterCard, será o primeiro parceiro a implementar o MDES, oferecendo acesso às soluções provedoras de carteiras digitais como Apple Pay, Samsung Pay e Android Pay, tão logo estejam disponíveis no Brasil.

De acordo com Valério Murta, vice-presidente de Produtos para a MasterCard Brasil e Cone Sul, a plataforma permite que os emissores conectem seus cartões a diversas soluções de pagamento móvel e a diferentes carteiras digitais, incluindo a sua própria carteira digital, caso desejem, oferecendo assim múltiplos benefícios ao consumidor.

“A MasterCard entrará com a inovação em autenticação, identificação, personalização e tokenização para garantir a melhor experiência de uso e total segurança das transações. Quando essa tecnologia passar a operar de forma plena, o consumidor poderá deixar seu plástico em casa e levar somente seu dispositivo móvel para concluir pagamentos”, comenta.

A parceria vai ao encontro da visão da MasterCard que cada vez mais posiciona-se como empresa inovadora e que, por meio da tecnologia, alavanca parceiros no espaço digital”, complementa Murta.

Como funciona

O MasterCard Digital Enablement Service é uma plataforma que estará disponível a qualquer emissor e que ajuda a transformar aparelhos conectados à internet em um dispositivo apto a realizar e receber pagamentos. Além disso, o MDES utiliza a tokenização para garantir a segurança das transações.

Tokens são os códigos que os dispositivos móveis utilizam para validar transações no lugar dos números impressos no cartão. Com isso, o MDES valida a transação ao mapear, a partir do token, e retornar aos dígitos originais do cartão. Após essa checagem, a informação é encaminhada ao emissor para a autorização do pagamento.

“Esse tipo de criptografia fomenta a inovação na indústria de pagamentos, protege o cartão e, consequentemente, o consumidor, mitigando golpes e fraudes. Há ganhos em todas as partes”, finaliza.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor