Twitter confirma Dorsey como CEO: escolha acertada ou último recurso?

EmpregoEmpresasGestãoNegócios

É oficial. Jack Dorsey assume, definitivamente, a direção executiva da plataforma de microblogging que co-fundou em 2006. Os investidores olham para o novo CEO com esperança de que ele consiga restituir ao Twitter o valor de mercado que tem vindo a perder, desde que abriu o capital em 2013.

O novo CEO, que tem ocupado o cargo de diretor executivo interino desde que o antecessor Dick Costolo abandonou o Twitter no passado mês de julho, manterá seu cargo de CEO da Square, uma companhia que se dedica ao desenvolvimento de tecnologia para pagamentos através de dispositivos móveis.

Dorsey desde o início que encima a lista de candidatos ao lugar de Costolo e, na semana passada, a Re/Code já afirmava, citando fontes próximas do assunto, que o executivo fora nomeado CEO pelo Conselho de Administração do Twitter.

De acordo com a Bloomberg, entre os candidatos à chefia do Twitter podia se contar a ex-CTO da Cisco, Padmasree Warrior, e o presidente da CBS Interactive, Jim Lanzone.

No entanto, antes da confirmação de Dorsey como novo CEO, algumas preocupações surgiram quanto à capacidade do executivo para equilibrar suas responsabilidades enquanto diretor do Twitter e seus deveres como diretor da Square.

Em junho, a comissão responsável por encontrar um novo líder do Twitter sublinhou que este cargo exigia um compromisso integral. Ora, nessa altura, muitos puseram de lado a hipótese de Dorsey poder vir a comandar a empresa, visto que a probabilidade de deixar a direção da Square era escassa.

Mas agora é evidente que a busca por um novo CEO pode não ter sido conduzida da melhor forma, ou, então, a lista de candidatos ao “trono twitteriano” pecava pela falta de qualidade, pois Dorsey, como se pode constatar, será diretor executivo de duas empresas, em simultâneo.

O Twitter está em uma situação que não augura um futuro nada soalheiro. A base de usuários ativos mensais tem diminuído sistematicamente e o valor de suas ações tem seguido a mesma trajetória. A empresa tem olhado para o negócio da publicidade online como uma catapulta que a ajudará a alcançar, novamente, a mó de cima e tem investido no fortalecimento deste seu segmento.

Um CEO com a atenção dividida entre dois negócios, como o Twitter e a Square, talvez não seja capaz de executar um trabalho suficientemente sólido para que ambos possam singrar, e o Twitter precisa, sem sombra de dúvida, de alguém que se dedique de corpo e alma – e em tempo integral – ao seu negócio. Será Dorsey o homem certo para o cargo?

Planos de Dorsey

Na sua página do Twitter, Jack Dorsey revelou que Adam Bain, que até desde 2010 era responsável pelas áreas de receitas e parcerias da empresa, será o novo diretor de operações.

O novo CEO, demonstrando bastante confiança e determinação, afirmou que a Square é uma ferramenta de fortalecimento financeiro e que o Twitter é um bastião da liberdade de expressão, e que ambas as empresas têm o potencial para aumentar o seu impacto no mundo. “Faço o que for preciso para assegurar que isso acontece”, declarou Dorsey.

Num outro tweet, o executivo afirma que o Twitter vai investir no fortalecimento de sua equipe, o que pode sugerir que a empresa está a planear contratar mais funcionários ou então, quem sabe, se está a planear uma fusão com a Square. Esta ideia de “fusão”, se se meditar sobre o assunto, poderia ser algo positivo para o Twitter, visto que a Square opera na esfera dos pagamentos mobile e a plataforma de microblogging tem procurado reforçar sua presença ao nível da publicidade, para a qual o comércio digital poderia ser um complemento interessante.

“Daqui para a frente, o nosso objetivo é fazer com que o Twitter seja facilmente utilizado por qualquer pessoa no mundo”, acrescentou Dorsey, o que poderá sugerir que novos idiomas serão adicionados às mais de 30 línguas já suportadas pelo serviço.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor