Hackers do Anonymous prometem atacar Estado Islâmico

CyberwarSegurança
0 0 Sem Comentários

O grupo de hackers Anonymous divulgou um vídeo na internet em que declarou guerra contra o Estado Islâmico e prometeu vingança pelos ataques de Paris, que deixaram pelo menos 129 mortos e centenas de feridos. Representante do Anonymous alertou que haverá uma avalanche de ataques cibernéticos. “Podem esperar”, disse.

“Estes atentados não podem ficar impunes”, disse, em francês, um membro do grupo de ativistas, que surgiu no vídeo com o rosto coberto pela máscara de Guy Fawkes, que foi popularizada no filme V de Vingança e foi adotada como símbolo do movimento.

“É por isso que os Anonymous de todo o mundo vão caçar-vos. Vamos lançar a maior operação jamais feita contra vocês, podem esperar um grande número de ataques cibernéticos. A guerra está desencadeada, preparem-se. O povo francês é mais forte que tudo e irá sair ainda mais forte desta atrocidade”, disse o representante do Anonymous em um vídeo divulgado no Youtube.

Segundo a mensagem, o alvo dos Anonymous serão os sites e as contas nas redes sociais com ligações com o Estado Islâmico. No seu site em francês, o grupo anunciou ainda a intenção de “perseguir” os membros dos grupos terroristas responsáveis pelos atentados de Paris e fazer “o necessário para acabar com as respectivas ações”.

“Na altura dos ataques ao [jornal satírico francês] Charlie Hebdo [em janeiro passado], já tínhamos expressado a nossa vontade de neutralizar qualquer um que atacasse as nossas liberdades fundamentais. Reiteramos aqui essa vontade na sequência desta tragédia”, acrescentou o grupo.

Os ativistas exortaram também os seus membros a mobilizarem-se para “lutar” e para “lutar em conjunto contra a tirania e o obscurantismo”. Também na rede social Twitter, o movimento escreveu a frase: “Anonymous está em guerra com Daesh [acrônimo árabe do grupo Estado Islâmico]”.

O grupo radical sunita Estado Islâmico reivindicou no sábado os atentados de sexta-feira (13) em Paris e que causaram pelo menos 129 mortes. Os ataques ocorreram em vários locais da cidade, entre eles uma sala de espetáculos e o Stade de France, onde decorria um jogo de futebol entre as seleções de França e da Alemanha.

*Com informaçoes da Agência Brasil e Agência Lusa


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor