Big Data fracassa devido a acesso tardio e falta de qualificações

Big DataData Storage

Big Data fracassa em termos de negócios e tem custos de cerca de 20 milhões de libras em oportunidades falhadas, de acordo com um inquérito do prestador de serviços de armazenamento em flash, Pure Storage. O inquérito mencionou diversos motivos para a falha, mas culpou especificamente a falta de acesso rápido a informações importantes, falta de funcionários

Big Data fracassa em termos de negócios e tem custos de cerca de 20 milhões de libras em oportunidades falhadas, de acordo com um inquérito do prestador de serviços de armazenamento em flash, Pure Storage.

O inquérito mencionou diversos motivos para a falha, mas culpou especificamente a falta de acesso rápido a informações importantes, falta de funcionários qualificados em gestão de dados e burocracias.

Falhas?

O relatório pan-europeu intitulado “Falhas de Big Data” sublinha o esforço que algumas empresas estão a passar ao tentar aceder atempadamente a informações necessárias. O relatório concluiu que mais de metade (51%) das empresas perderam oportunidades antecipadas devido a falta de informações corretas no momento em que eram realmente necessárias.

Este facto teve um custo de 2 milhões de libras por ano em receitas perdidas por empresas (para as empresas com vendas entre os 100 e os 500 milhões de libras). Mas para as empresas que faturam mais de mil milhões de libras por ano, o custo é superior – um custo estimado de 20 milhões de libras por empresa, por ano.

Cerca de um terço (31%) das empresas sofreu perdas mais do que uma vez por ano e cerca de um quinto (19%) das empresas sofreu perdas várias vezes por semana.

E mais de três quartos (72%) das empresas admitiram ter recolhido dados que nunca utilizaram. Cerca de metade (48%) das empresas afirmam que isto se deve ao facto de ser um processo demasiado moroso. Mas o custo também desempenha um papel importante, sendo que uma em cada cinco empresas mencionou que os custos de processamento de dados são demasiado elevados.

Entretanto, mais de três quartos (78%) das empresas acreditam que poderiam melhorar o seu desempenho em, pelo menos, 21% com abordagens mais rápidas.

“O motivo pelo qual estamos a assistir ao aparecimento destas tendências é devido ao facto de ser mais económico para as empresas manter os dados que recolhem do que destrui-los – e assim, os volumes de dados de uma empresa crescem rapidamente,” afirma James Petter, vice-presidente da Pure Storage, EMEA. “Mas, simultaneamente, é complicado e dispendioso aceder a informações úteis de forma suficientemente rápida para fazer a diferença.”

“É frequente as empresas acederem às mesmas informações,” afirma Petter. “É a velocidade e simplicidade das ferramentas com as quais podem potenciá-las em abordagens funcionais que prejudicam os seus concorrentes. À medida que as empresas recolhem mais dados específicos sobre aquilo que fazem, o potencial para compreender e planear em conformidade não é apenas uma ação rentável, mas necessária.”

“A transformação é imposta a empresas a um ritmo cada vez mais maior,” acrescentou Petter. “As empresas devem adotar novas formas de negócios, novos mercados e novas práticas – ou morrem.”

Burocracia

O que está a correr mal em termos de Big Data para causar este tipo de problemas? Mais de metade (56%) dos inquiridos afirmam que a burocracia é o maior obstáculo que enfrentam em termos de oportunidades de negócio.

“A burocracia em torno do acesso a informações está a evitar que as empresas utilizem os seus dados para encontrar abordagens únicas que levam a grandes ideias.”, afirma Petter. “A propriedade dos dados deixou de ser apenas da competência do CIO, a democratização da abordagem dos negócios permite-lhes prejudicar a concorrência.”

Mas os regulamentos são também preocupantes, com uma em cada dez empresas a mencionar preocupações em termos de proteção de dados, visto que estão a travar a divulgação de informações e dados nos seus negócios. O futuro Regulamento sobre Proteção Geral de Dados da UE irá afetar brevemente todas as empresas que armazenam dados.

É de salientar que a Pure Storage não é a única empresa a alertar para os problemas relacionados com Big Data.

Em outubro, de acordo com a empresa Gartner, os negócios que utilizam indevidamente o seu big data e programas analíticos podem pôr as suas empresas em risco, assim como os seus clientes.

O relatório da empresa concluiu que o aumento de projetos big data também levou a um aumento de falhas prejudiciais. A empresa também previu que cerca de 50% das violações éticas de negócios irão ocorrer através de uso indevido da análise de big data até 2018.

Mas nem tudo são más notícias.

Um inquérito recente realizado pela CA Technologies concluiu que nove em cada dez empresas enfrentam ou irão enfrentar ações de marketing direcionado e campanhas de vendas mais eficazes devido à utilização de big data e 88% das empresas antecipou um aumento nos lucros.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor