Estudos liderados pelo Brasil identificam novas faixas para internet móvel

InovaçãoMobilidade
0 1 Sem Comentários

Na Conferência Mundial de Radiocomunicações da União Internacional de Telecomunicações (UIT), realizada em novembro, estudos liderados pelo Brasil, na região das Américas, identificaram novas frequências que poderão ser usadas futuramente para a internet móvel (IMT): a Banda L, de 1427 a 1518 MHz, e a Banda C, 3400 a 3600 MHz.

De acordo com o Ministério das Comunicações (MC), a questão encaminhada na UIT é um sinal para fabricantes de equipamentos de telecom e operadoras de que essas frequências serão destinadas para o serviço móvel, como explica a gerente de projetos da Secretaria de Telecomunicações do MC do Brasil, Diana Tomimura.

“É uma indicação para o mercado de que essa faixa está harmonizada. Então serão produzidos equipamentos não para um país específico, mas para o mundo inteiro, gerando ganhos de escala”, destaca Diana.

Outro tópico definido pelos países foi a manutenção da faixa de UHF (470 MHz a 698 MHz) para a radiodifusão. Diana explica que os países da América do Norte se posicionam pelo uso desse espectro para a banda larga móvel, uma vez que nesses países os serviços de TV a cabo são mais populares do que a televisão aberta.

No Brasil, a faixa de UHF é utilizada para os canais analógicos e digitais de televisão. É importante a manutenção dessa faixa para a radiodifusão, uma vez que está em progressão o processo de migração do serviço analógico para o digital.

Para a próxima Conferência, daqui a quatro anos, estão agendados debates de itens como a destinação de frequência para os HAPs (High-altitude platform), que são aeronaves usadas em grandes altitudes para levar internet a áreas remotas, para o RLAN, que são os pontos de internet wi-fi, e o 5G, a quinta geração da telefonia móvel.

*Com informações do Ministério das Comunicações


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor