Quatro dicas para migrar banco de dados Oracle para flash

Base de DadosData Storage
0 22 Sem Comentários

No Gartner Symposium/ITxpo deste ano, os analistas destacaram um assunto importante que está sendo cada vez mais debatido nos departamentos de TI: a demanda implacável. Em todos os setores, empresas e consumidores estão exigindo uma conectividade melhor e mais constante, menos tempo de inatividade, taxas de resposta mais rápidas e tudo isso com um número crescente de dispositivos conectados.

E essa digitalização da nossa economia trouxe um grande problema para as empresas, pois as organizações estão cada vez mais ricas em termos de dados, porém mais pobres em tempo e recursos quando se trata de alavancar as informações disponíveis para elas. Em nenhum outro lugar isso é sentido tão intensamente quanto nos data centers, especificamente em termos de armazenamento, onde o Gartner prevê que os 39 milhões de terabytes em uso hoje saltem para 89 milhões até 2019.

Perante estes desafios, é vital que as empresas aprendam a otimizar os sistemas críticos para essa tarefa, de modo a garantir que eles possam lidar com cargas de trabalho maiores. O banco de dados Oracle, por exemplo, é um dos sistemas de TI mais amplamente utilizados no mundo, com uma fatia de quase 45% do mercado de bancos de dados relacionais e adotado por 98% das empresas da Fortune 500. Para alcançar ainda mais desempenho em seus data centers, tornando-os mais eficientes, 60% das organizações estão planejando mudar para o armazenamento totalmente flash até 2017.

Mas ainda há muito a considerar durante o processo de migração, pois muitas das recomendações da Oracle para armazenamento legado poderão não continuar válidas no mundo flash. À medida em que as organizações migrem para o novo sistema, será essencial compreender quatro requisitos para tirar o máximo proveito do armazenamento 100% flash:

– Repense sua configuração: Com flash, não é mais necessário separar os arquivos de dados e os de “log” em diferentes mídias de armazenamento. Na verdade, os registros de alterações (“re-do”) podem ser transferidos para flash, aumentando seu desempenho. Além disso, no flash, o desempenho não é uma função do número de unidades lógicas (LUNs). A escolha de Gerenciamento Automático de Armazenamento (ASM) ou sistema de arquivos também pode ser feita independentemente de considerações de desempenho. O rápido provisionamento de ambientes para desenvolvimento ágil e testes através do uso da funcionalidade de snapshots também poderá ser um divisor de águas para muitas organizações.

– Customize o sistema para a tarefa: O desempenho do banco de dados Oracle em flash não é uma função do tamanho do bloco de dados, do ASM, sistema de arquivos ou do número de LUNs. As organizações deverão, em vez disso, buscar o que melhor atenda às suas necessidades, compatibilizando-o com as políticas e diretrizes operacionais.

– Compreenda o desempenho do flash: O armazenamento baseado no disco rígido tradicional requer múltiplas LUNs para aumentar o número de IOPS (operações de entrada e saída por segundo). No armazenamento totalmente flash, as IOPS são uma função da controladora, não importando em quantas LUNs estão baseadas. As atividades demoradas e tediosas, como back-up e recuperação, podem ser também enormemente reduzidas. Os processos de back-up e recuperação usando o Oracle RMAN podem ser 10 vezes mais rápidos em sistemas 100% baseados em flash, devolvendo ao administrador de banco de dados um tempo precioso para gastar em tarefas mais estratégicas.

– Avalie os custos: Graças à redução de dados e a um sistema mais eficiente, o armazenamento flash permite que as pessoas façam mais com menos. Ao reduzirem o número total de núcleos de CPU usados para executar o Oracle, as organizações podem economizar milhares de dólares por ano em custos de licenciamento e hardware.

A aceleração dos aplicativos de negócios proporciona às organizações mais dados e mais insights analíticos para superarem as expectativas dos clientes. Além disso, quando os aplicativos de negócios funcionam conforme o esperado, liberam tempo para a equipe de TI focar seus recursos na transformação do negócio e no desenvolvimento de novas capacidades para os seus clientes. Na economia digital, o sucesso pode ser frequentemente encontrado na maximização de cada aspecto de sua infraestrutura de TI. Ao terem uma melhor compreensão das vantagens do armazenamento flash antes de fazer a mudança, as organizações podem planejar com antecedência, garantindo que poderão atender às crescentes demandas dos departamentos de TI.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor