Rawstream chega ao Brasil com foco em escolas e PMEs

CyberwarEmpresasFirewallGestãoNegóciosSegurança
0 0 Sem Comentários

Plataforma inglesa de filtragem e monitoramento de conteúdo escolhe o País para iniciar atuação na América Latina. O objetivo é fomentar a produtividade e a segurança da internet em ambientes corporativos e escolares.

A Rawstream inicia sua operação no mercado brasileiro para lançar em território nacional a solução Rawstream Latim America, tecnologia global desenvolvida para monitorar e filtrar o acesso de empresas e escolas a sites considerados inapropriados, que são potencialmente perigosos, e que ao mesmo tempo sobrecarregam a rede de dados, diminuindo a produtividade.

Com apenas um ano e seis meses de operação na Inglaterra, a startup chega ao Brasil com a expectativa de fortalecer sua marca no País e atingir em 2016 aproximadamente 125 mil licenças vendidas. Para isso, a Rawstream atuará neste primeiro momento nos segmentos de pequenas e médias empresas (PMEs), educacional, além de companhias que queiram assegurar a boa utilização da internet.

De acordo com a empresa, a estratégia de fomentar a solução nos pequenos e médios empreendedores é educar e criar uma visão mais madura em relação ao acesso à internet, visto que os colaboradores de companhias que não restringem o uso da web acabam utilizando indevidamente a rede corporativa para acessos pessoais, como por exemplo, redes sociais ou mesmo para baixar filmes.

Já nas escolas, o alvo da Rawstream é filtrar conteúdos adultos acessados pelos alunos, seja por meio da rede da instituição, como pelo wi-fi, sem contar o bloqueio das redes sociais, como o Facebook, o Twitter e até o Netflix durante o horário de aula, que atrapalha o rendimento em sala.

De acordo com Brian Azzopardi, CEO global da Rawstream, a escolha do País para iniciar a expansão da marca na América Latina foi motivada por conta da grande procura por soluções inovadoras destinadas à segurança da informação na região, além de ser um local com alto índice de audiência online. “Dos 169 milhões de usuários latino-americanos da internet, 40% estão no Brasil.”

“Hoje, uma empresa com 20 funcionários terá um custo mensal de R$ 400. Se ela fosse comprar e instalar internamente uma solução, gastaria em torno de R$ 80 mil, fora os custos com atualizações. Ou seja, mesmo que o momento econômico brasileiro não seja um dos mais favoráveis, o custo da solução não é impeditivo por ser um modelo Opex”, detalha Alfredo Salazar, diretor comercial da Rawstream no Brasil.