Estudo da SAP e Oxford mostra tendências de futuro no varejo

E-commercee-Marketing

O futuro crescimento das cadeias de varejo passa por três imperativos, diz o primeiro Índice de Varejo realizado pela Oxford Economics em nome da SAP, que acaba de ser divulgado.

“Reigniting Growth: Three Imperatives for Retail’s Future” é o nome do estudo realizado com os 120 maiores varejistas a nível mundial. A SAP e a Oxford juntaram ao inquérito um índice económico, que mede o desempenho do varejo a nível mundial, e concluíram que os players estão sujeitos a “enormes pressões” para adaptarem as estratégias de negócio ao novo tipo de consumidores. No entanto, muitos não estão a evoluir com a rapidez necessária.

O estudo identifica três imperativos para os varejistas:

  1. Desenvolver uma estratégia digital integrada. As tendências mostram que o crescimento das vendas não será sustentado apenas pelo online ou apenas pelas lojas físicas. “Os varejistas devem desenvolver estratégias que funcionem em qualquer ponto de contacto com o cliente.”
  2. Reinventar a experiência dentro da loja física. Há anos que o foco de muitos varejistas tem sido melhorar o atendimento dentro das lojas, e isso tem dado bons resultados. “Mas eles precisam de continuar a evoluir e a inovar para se manterem a par das necessidades dos consumidores sempre em mudança.
  3. Criar uma perspetiva global do consumidor. O volume de dados disponíveis sobre os clientes e sobre o mercado que está disponível oferece uma oportunidade única de personalizar a experiência de compra – se os varejistas conseguirem fazê-lo de forma apropriada.

“Para sustentar o crescimento e satisfazer os clientes, os varejistas devem continuar a melhorar a experiência dentro da loja, expandir as interações online e em dispositivos móveis e construir as estratégias operacionais que são necessárias para integrar todos estes elementos numa experiência sem barreiras para o consumidor. Isto é, de forma a que qualquer experiência que o cliente tenha com aquele varejista tenha o mesmo nível de qualidade.

Um dos pontos interessantes do inquérito é a dificuldade que os varejistas têm na utilização prática dos dados disponíveis. Apenas 59% respondeu que a estratégia da sua empresa no desenvolvimento de iniciativas de marketing baseadas na análise de dados de clientes está madura; apenas 46% consegue captar dados de canais externos à cadeia de valor do varejo; e apenas 37% admitiu conseguir ter uma visão 360º do cliente, que inclui todos os dados internos e externos.

As conclusões do estudo podem ser consultadas aqui (inglês).


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor