Funttel investiu mais de R$ 250 milhões em pesquisa e inovação em 2015

InovaçãoMobilidadeOperadorasRedes
0 2 Sem Comentários

Este é o saldo de incentivo do Fundo para o Desenvolvimento Tecnológico das Telecomunicações (Funttel) no setor em 2015. Mais de R$ 250 milhões foram destinados ao apoio a projetos de pesquisa e inovação em telecomunicações. Desse montante, R$ 52 milhões direcionados a iniciativas de pesquisa e R$ 200 milhões a empresas nacionais do setor repassados por meio da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep).

Pesquisas com 5G se destacaram entre os projetos apoiados. A implantação do Centro de Referência em Radiocomunicações (CRR) no campus do Instituto Nacional de Telecomunicações (Inatel), em Santa Rita do Sapucaí (MG), é um exemplo. A instituição atua como um polo de pesquisas na área de comunicações sem fio.

Em 2014, a taxa de retorno dos investimentos do Funttel foi de mais de 600%. Para cada R$ 1 destinado aos projetos, o mercado nacional de telecom faturou, em média, R$ 6,28. Todos os anos, em levantamento com as empresas, centros de pesquisa e pesquisadores, o Funttel coleta os resultados alcançados pelos projetos apoiados.

Esse indicador mostra que um protótipo gerado a partir do investimento do Funttel se transformou em um produto. Esse equipamento, quando comercializado, comparado com o valor usado lá atrás, gerou um faturamento que multiplicou esse valor.

Os projetos apoiados pelo Funttel em 2014 foram responsáveis pela produção de 125 trabalhos técnico-científicos, que incluem teses, dissertações e artigos; 141 registros de propriedade intelectual, como registros de software e patentes; e 68 produtos e tecnologias comercializáveis. Além disso, foram 552 pesquisadores alocados em projetos apoiados pelo fundo, sendo 358 em dedicação integral.

O que é o Funttel

Administrado pelo Ministério das Comunicações, o Funttel tem o objetivo de estimular o processo de inovação tecnológica, incentivar a capacitação de recursos humanos, fomentar a geração de empregos e promover o acesso de pequenas e médias empresas a recursos de capital para ampliar a competitividade da indústria brasileira de telecomunicações.

*Com informações do Ministério das Comunicações


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor