Telefónica investe em empresas ibero-americanas

EmpresasFinançasNegóciosOperadorasRedesStartup
0 0 Sem Comentários

A Telefónica, por meio do programa de inovação aberta Open Future, encerrou 2015 como um dos principais investidores corporativos na Espanha e na América Latina na área de inovação aberta e investimentos em capital de risco.

Presente em 17 países, o programa Open Future investiu em mais de 600 startups (em comparação às 315 que existiam há um ano e meio), contribuiu para a aceleração de 850 projetos empresariais e conta com mais de 85 parceiros públicos e privados.

Nos últimos quatro anos, o montante comprometido em capital de risco mediante o uso de veículos de investimentos, tais como Telefónica Ventures e os sete fundos da rede Amerigo, consolidou a companhia como um dos mais importantes investidores em capital de risco nos países ibero-americanos.

Em distribuição geográfica, tais fundos investidos estão: 9% na Espanha, 11% no restante da Europa, 13% na América Latina e os demais 68% estão distribuídos entre Estados Unidos, Israel e outras partes do mundo.

Ana Segurado, diretora do Telefónica Open Future, afirma que em um ano e meio o programa tornou-se uma ferramenta fundamental para a estratégia digital da Telefónica, transformando-se em um observatório privilegiado para detectar, captar e incorporar a revolução tecnológica.

No Brasil, a principal atuação da Telefónica Open Future é a Wayra, já consolidada como principal aceleradora de startups do País, três anos após sua chegada, em 2012. No período, a academia brasileira já investiu R$ 5,8 milhões em 49 empresas digitais. Paralelamente, as startups já levantaram mais de R$ 36 milhões do mercado.

De acordo com a empresa, a iniciativa oferece pacote de aceleração competitivo, com investimento de US$ 50 mil por uma participação minoritária de até 10% na companhia e até 12 meses de aceleração. O resultado é um portfólio de startups que já apresentam desempenho positivo no mercado.

Ao longo de 2015, as startups apoiadas pela Wayra Brasil (das quais sete estão em processo de aceleração) obtiveram faturamento de mais de R$ 40 milhões, montante 4.7 vezes maior do que as receitas no ano anterior, que totalizaram R$ 8,5 milhões.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor