ERP vai continuar no centro do negócio mas…

ERPGestãoSoftware

O novo relatório estima que até 2020, 10% das empresas terão incluído cancelamento nos seus contratos de manutenção de fornecedor ERP nas próprias instalações em suas estratégias de ERP pós-moderna, reduzindo em até 50% os custos anuais com suporte.

A Gartner lançou recentemente um novo relatório intitulado “O suporte terceirizado tem algum papel na sua estratégia de ERP pós-moderna?”.

No documento, a consultora apresenta importantes desafios e recomendações relativas à abordagem de ERP pós-moderna, proporcionando critérios de manutenção e avaliação de suporte ERP a líderes de Tecnologias de Informação para as suas necessidades de curto, médio e longo prazos.

O ERP vai continuar no centro do negócio

De acordo com a Gartner, “para muitas empresas, o ERP continua a ter uma alta prioridade para diretores de informação, que classificam o recurso como a quarta prioridade na pesquisa CIO 2016 da Gartner”, e “aplicações nas próprias instalações continuarão em funcionamento como parte do portfólio de ERP para muitas organizações, mas o volume do orçamento de TI gasto na manutenção de soluções desse tipo precisará ser reduzido à medida que os recursos são direcionados a novos investimentos”.

Diz a consultora que os líderes de ERP estão a adotar cada vez mais uma abordagem híbrida de TI, o que implica aprimorar a presença atual de ERP nas instalações com aplicações baseadas em nuvem. Contudo, necessitam de um meio para financiar essa inovação. “Mudar para um suporte terceirizado de baixo custo também permite que a empresa transfira os gastos da solução central e estável de ERP para novos investimentos”, segundo a Gartner.

O relatório da Gartner destaca também importantes critérios da decisão de considerar uma troca para o suporte independente, por exemplo:

  • Quanta atividade adicional de desenvolvimento, implantação e atualização é planeada para a aplicação, caso haja.
  • O grau de satisfação dos usuários e da TI com os serviços de suporte do fornecedor.
  • Se/quando o fornecedor parará de prestar suporte à aplicação ERP.
  • Se há prestadores terceirizados com histórico comprovado de suporte ao software do fornecedor.
  • O quanto a mudança afeta o modelo de custo de ERP.

“À medida que os modelos de computação em nuvem e baseados em assinatura continuam a amadurecer, isso está a provocar mudanças fundamentais na forma como os diretores de informação e líderes de TI escolhem manter e evoluir suas infraestruturas de TI, com o ERP mantendo-se no centro de seu panorama”, afirmou Seth Ravin, diretor executivo da Rimini Street, uma empresa de fornecimento de serviços de assistência a software empresarial.

“Acreditamos que esse relatório verifica a crescente importância do suporte independente como uma alternativa essencial na estratégia de ERP pós-moderna de qualquer diretor de informação, particularmente à medida que esses líderes procuram formas de financiar novos investimentos em TI sem com isso aumentar o orçamento geral para o setor”.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor