IBM pede aos parceiros que invistam em Linux, memória Flash e computação cognitiva

Big DataData StorageEmpresasInovaçãoNegóciosStorage
0 0 Sem Comentários

O presidente da IBM Systems, Tom Rosamilia, lançou um desafio aos milhares de parceiros que estão presentes na PartnerWorld Leadership Conference, em Orlando: querem sofrer uma disrupção ou querem ser os disruptores?

Todo o ambiente da conferência rondou esta ideia de que estamos numa altura crítica de transformação e muitas empresas vão ficar pelo caminho. A própria IBM teve no ano passado resultados mistos em sua unidade de sistemas de hardware: os mainframes e Power systems cresceram, enquanto o armazenamento derrapou 11%. A divisão atingiu um volume de negócios de 2,15 bilhões de euros, o que representou uma ligeira redução de 1%.

Tom Rosamilia esteve em palco para dar aos parceiros uma visão clara de onde a IBM acredita que estão as maiores oportunidades. Estes foram os conselhos dados pelo executivo:

  • Batam a concorrência com armazenamento definido por software;
  • Substituam o disco rígido com armazenamento flash;
  • Envolvam os clientes com os novos desempenhos do z13s (mainframe) e LinuxOne;
  • Impulsionem alternativas ao x86 com Open Power;
  • Expandam oportunidades para os negócios cognitivos através do ecossistema aberto.

“A IBM é líder no armazenamento definido por software“, declarou Rosamilia, sublinhando que esta é a infraestrutura que vai suportar uma nova geração de TI. O executivo sublinhou ainda que “o disco rígido [HDD] está em declínio” e que os parceiros devem investir agora em flash.

Outra área onde a empresa está investindo forte é o open source. “O Linux é o sistema operativo com crescimento mais rápido em todo o mundo”, revelou Rosamilia. “O LinuxOne é uma tremenda oportunidade para vender Linux no mainframe”, continuou, embora a IBM não chame mainframe a este sistema, que pode escalar até 8 mil servidores.

Ainda com a Linux Foundation, a IBM quer incentivar a proliferação da tecnologia Blockchain, que entrou no léxico por estar detrás das moedas digitais Bitcoins. “É uma tecnologia disruptiva que vos encorajo a pesquisar e compreender”, sugeriu o executivo aos parceiros.

A PartnerWorld Leadership Conference, que reuniu 1400 parceiros de mais de 80 países, termina hoje em Orlando, Flórida. No próximo mês a IBM volta à estrada com a InterConnect, em Las Vegas, e regressa ao Nevada em setembro para a Edge2016, a conferência dedicada às infraestruturas de hardware.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor