Microsoft e HCL Technologies lançam incubadora de Internet das Coisas

Negócios
0 0 Sem Comentários

A Microsoft e a HCL Technologies vão abrir uma incubadora de Internet das Coisas em Redmond, na sede da tecnológica norte-americana, para testar soluções e protótipos. Irá chamar-se “IoT WoRKS By HCL.”

Um dos propósitos deste centro de incubação é permitir às empresas que querem investir na Internet das Coisas testarem a sua aplicação e resultados. Está sendo desenhado para alavancar a suite Microsoft Azure IoT e vai testar casos de aplicação em automação industrial, vigilância remota de doentes, gestão de frotas, entre outros. São algumas das áreas dentro dos verticais em que a HCL Technologies se vai focar: Indústria e Manufatura e Ciências da Vida e Saúde.

“Uma das tendências mais transformadoras que afeta as empresas hoje em dia é a Internet das Coisas”, sublinha Susan Hauser, vice-presidente de negócio e responsabilidade corporativa da Microsoft, em comunicado. “Juntamente com a HCL, vamos dar às empresas a possibilidade de acelerar a adesão à IoT com soluções específicas para indústrias que oferecem melhor conhecimento de negócio, novos modelos de receitas e retorno rápido de investimento”, continua a responsável. “Estas capacidades são essenciais para criar um maior impacto e manter uma vantagem competitiva na economia digital.”

O centro vai implementar um novo modelo de inovação com analítica em tempo real, dados provenientes de sensores e co-criação, onde os clientes podem testar o impacto que a IoT pode ter em seus produtos/modelos de negócio.

“A capacidade de fazer protótipos rapidamente e trazer soluções ao mercado é chave para o sucesso das empresas num ambiente global hiper-inovador”, comenta Sukamal Banerjee, líder da unidade de negócio IoT WoRKS da HCL Technologies. “A IoT industrial será a próxima alavanca para a produtividade e geração de receitas nas empresas em todo o mundo”, continua. “Estamos confiantes de que a nossa colaboração neste espaço vai criar algumas soluções industriais inovadoras que são escaláveis, eficientes em termos de custos e focadas na experiência do usuário.”


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor