MWC | Ericsson: Disrupção digital acontecerá a todas as indústrias e já em 2016

Cloud
0 8 Sem Comentários

Hans Westberg, presidente e CEO da Ericsson, não tem qualquer dúvida, A disrupção digital vai acontecer. E em todas as indústrias. E já em 2016. Como? IoT. Cloud. E 5G. Até parece simples, não?

* em Barcelona

O discurso de Hans Vestberg foi deveras positivo. Em 2016, o presidente e CEO da Ericsson admite que todas as indústrias serão “atacadas” pelo fenómeno da disrupção. E fez alguns anúncios de peso quer em 5G, na Internet das Coisas (IoT) e, claro, na nuvem. Com isto a Ericsson quer reafirmar o seu compromisso como parceiro na tal transformação digital dos seus clientes. Em todas as indústrias.

Numa visão onde 50 mil milhões de equipamentos estarão ligados, comunicarão entre si, há três vetores fundamentais para a Ericsson: largura de banda, mobilidade e cloud. Vetores que permitem a efetiva digitalização dos modelos de negócio e criando possibilidades que antes seriam inimagináveis, diz a Ericsson.

Nesta viagem, Hans Vestberg explica que não são apenas os clientes que estão a transformar-se. A própria Ericsson, enquanto empresa, enquanto organização, também está a sofrer essa transformação. “Hoje, 66% do nosso negócio vem de software e serviços. Há alguns anos, a maioria era hardware. Hoje, a maioria dos nossos concorrentes são players da indústria de Tecnologias de Informação e Comunicação. Não são operadores de telecomunicações. O nosso portfólio está constantemente a evoluir por forma a responder aos requisitos dos nossos clientes”.

No que diz respeito a anúncios aqui em Barcelona, a empresa voltou a comprometer-se com o 5G, através de acordos com os 20 maiores operadores mundiais, cujos testes deverão começar já em 2016. A empresa diz estar altamente empenhada com iniciativas de pré-estandardização, nomeadamente o 5GEx, METIS II e 5G para a Europa.

Outro vetor importante para a empresa sueca é a Internet das Coisas (IoT). O player anunciou uma série modular de serviços e soluções de software profissionais que podem ser “costurados” à medida das necessidades dos operadores.

Neste campo, a empresa anunciou uma colaboração com a AT&T para trazer a solução deste operador denominada “Digital Life” – que usa tecnologia IoT para transformar a segurança doméstica e automação – a provedores de serviço fora dos Estados Unidos.

Por último, a cloud. A empresa sueca tem planos para formar uma aliança com a Amazon Web Service de negócio global, tecnologia e serviços para “acelerar a transformação da cloud para os provedores de servos de telecomunicações.

Outra parceria estratégica anunciada foi com a Quanta Computer com o objectivo de acelerar o fabrico do Ericsson Hyperscale Datacenter System 8000.

A parceria que a Ericsson encetou com a Cisco há 73 dias foi outro dos focus desta apresentação à imprensa. As duas organizações querem basicamente criar a network do futuro. No palco, Vestberg foi ajudado por Rima Qureshi e Hilton Romanski, chief strategy officer da Cisco, para anunciar o Ericsson Dynamic Service Manager, um novo produto para gestão de redes em tempo-real.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor