MWC | Keezel é o acessório que protege a ligação a redes Wi-Fi inseguras

RedesSegurança

A segurança está na mente de todos nesta edição do Mobile World Congress e a Keezel Company levou até Barcelona a sua invenção para proteger os usuários: o keezel, um botão que torna segura a navegação em redes abertas e públicas.

O produto chegará ao mercado em junho e está neste momento financiando-se no Indiegogo. Apesar de a segurança em redes Wi-Fi inseguras ser o maior atrativo, o Keezel também faz outra coisa: permite ao usuário acessar a conteúdos que estão bloqueados em determinado país.

A novidade apresentada em Barcelona é a parceria com uma série de provedores de redes privadas virtuais, a PureVPN, Le VPN e ProXPN, já que é assim que o aparelho coloca muros em torno da ligação do consumidor. “Os usuários Keezel que se ligarem a uma rede Wi-Fi em qualquer parte do mundo poderão agora acessar a mais de 1250 servidores em 160 países.

O Keezel encripta as comunicações e fornece uma camada adicional de segurança ao separar os dados do usuário e o tráfego de internet, que são operados por entidades diferentes.

“Antes do Keezel, a complexidade requerida para proteger a sua privacidade e dar acesso a conteúdos bloqueados por país estava fora do alcance dos usuários não-técnicos, e era uma chatice para toda a gente”, referiu Aike Müller, co-fundador da startup holandesa, que tem apenas um ano de existência. O Keezel protege até 5 ou 6 dispositivos ao mesmo tempo e a bateria dura quatro vezes mais que a de um iPhone.

O preço neste momento é de 89 dólares para a versão básica, que é mais lenta e acede a menor variedade de servidores. O serviço anual custará depois 60 dólares. Há vários descontos no Indiegogo para a versão de um ano premium, que custa 109 dólares (desconto de 26%) e 149 dólares pelo premium dois anos. O pacote empresarial custa 1349 dólares e engloba 10 Keezels com dois anos de serviço premium.

“Ainda não vimos um aparelho de hardware como o Keezel que tão facilmente oferece privacidade e segurança com o clique num botão”, disse Mike Strouse, CEO da parceira ProXPN. “Vejo este aparelho como capaz de virar o jogo para o que os nossos clientes precisam nesta era de invasão de privacidade.”


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor