Profissionais de TI de São Paulo conquistam reajuste salarial de 10,67%

EmpregoGestãoLegislaçãoResultadosSkills

Após seis encontros entre o Sindicato dos Trabalhadores em Processamento de Dados e Tecnologia da Informação do Estado de São Paulo (Sindpd) e o Sindicato das Empresas de Processamento de Dados e Serviços de Informática do Estado de São Paulo (Seprosp), finalmente a categoria conquistou reajuste salarial de 10,67%. Este índice será parcelado em duas vezes. A primeira parcela, referente aos meses de janeiro a outubro, será de 8,5%. A segunda, de novembro a dezembro, será de 2,17%.

Em relação ao auxílio-refeição, considerando o efeito retroativo à data-base da categoria de profissionais de TI, o valor do benefício passa a ser de R$ 16,60 para todos os profissionais, considerando a jornada de oito horas diárias, sem qualquer distinção por alocação ou número de funcionários – proposta feita pelo sindicato dos empresários desde o início da campanha.

A comissão de negociação do Sindpd resistiu às tentativas de retroceder nos direitos já consolidados na Convenção Coletiva de Trabalho da categoria. No entanto, de acordo com o presidente Antonio Neto, foi feito um esforço conjunto para que a situação fosse resolvida dentro de um patamar razoável para ambas as partes.

“Por conhecer a história desse sindicato, posso, com convicção, afirmar que essa foi uma das campanhas mais duras que o Sindpd enfrentou”, destaca Neto.

Ele acrescenta que o cenário econômico nacional criou uma cortina de fumaça em que os setores não enxergam perspectivas, estimulando o medo e a desconfiança na retomada do crescimento.

“Mas podemos dizer que a categoria saiu vitoriosa. Conseguimos a garantia de reposição das perdas inflacionárias, coisa que poucos setores conquistaram. Temos a segurança de que nossa Convenção Coletiva em nada retrocedeu, mesmo diante da intensa pressão dos patrões”, comemora o presidente do sindicato dos profissionais de TI de São Paulo.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor