SafetyPay amplia presença na América Latina

EmpresasFinançasNegócios
0 4 Sem Comentários

A SafetyPay, empresa de meios de pagamento, anuncia crescimento global de 80,4% em 2015. Expandiu seu portfólio e inaugurou escritórios, no Chile e no Equador, totalizando 19 países. O Brasil obteve participação significativa nos resultados, com alta de 500%, proveniente de acordos e parcerias estratégicas.

Algumas das estratégias de suporte ao crescimento foram o lançamento de funcionalidades a produtos existentes e a incorporação de soluções ao portfólio como pagamento via internet banking; pagamento em dinheiro; solução de vendas por telefone; transações de pagamentos para pessoas e empresas via rede bancária e cobranças recorrentes em lotes.

De acordo com o executivo  da SafetyPay, foi um período importante em todos os países, especialmente na América Latina, diante da aceitação das soluções. “O respaldo de nossos acionistas e clientes, principalmente aqueles com atuação regional, permitiu avançar nossas operações, aumentando nosso escopo de atuação”, destaca.

O SafetyPay E-mobile, lançado recentemente foi implantado no Peru pela companhia aérea Peruvian Airlines. Ele permite pesquisar, receber notificações dos melhores voos, comprar, pagar e fazer check-in via tablet ou smartphone. O pagamento é realizado por internet banking ou dinheiro nos agentes bancários.

“O avanço que tivemos em 2015 trará resultados mais positivos em 2016. Diversas negociações estão sendo concretizadas com grandes empresas e consolidarão nossa presença nos mercados que atuamos, especialmente no Brasil”, diz Luiz Antonio Sacco, diretor regional da América Latina.

O crescimento no Brasil fez com que a atuação do país assumisse importância maior entre as operações da companhia. Acordos importantes, como o banco Caixa, possibilitaram uma conveniência exclusiva de comprar no e-commerce e pagar em dinheiro em mais de 13 mil lotéricas brasileiras, sem boleto.

“A tecnologia beneficiou consumidores virtuais e absorveu uma quantia significativa de clientes não-bancarizados. Já os estabelecimentos ampliaram suas ofertas de meios de pagamento com mais agilidade na confirmação das transações em tempo real”, finaliza Sacco.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor