Telefónica Open Future e Inatel preparam crowdworking em MG

EmpresasInovaçãoNegóciosOperadorasRedes
0 34 Sem Comentários

Será um novo espaço para que os empreendedores possam desenvolver seus projetos, seguindo o caminho traçado em outros países, como Espanha e China. O Telefónica Open Future, programa global que agrega todas as iniciativas de empreendedorismo e inovação aberta do Grupo Telefónica, vai construir, nos próximos meses, junto com o Instituto Nacional de Telecomunicações (Inatel), um crowdworking [primeiro do Brasil] em Minas Gerais.

O objetivo, segundo as parceiras, é ajudar a impulsionar o talento local e incentivar jovens com vocação empreendedora a colocar em prática sua iniciativa, fornecendo infraestrutura de espaço, suporte técnico e mentoria de forma gratuita para que, caso o projeto avance, possa continuar a ser apoiado pela Wayra, aceleradora de startups do Grupo Telefónica, em que poderá receber financiamento.

A implementação desse novo crowdworking contará com a colaboração da Ericsson para apoiar as startups em seu período de maturação, buscando impulsionar o desenvolvimento de soluções digitais na área de IoT e redes, entre outras.

Ana Segurado, diretora do Telefónica Open Future, diz que uma das metas do programa para 2016 é colaborar com parceiros públicos e privados que queiram apoiar e impulsionar a inovação tecnológica e o empreendedorismo em todas as suas etapas.

“Os espaços de crowdworking contribuirão para que o talento permaneça no País e reverta em favor da economia local, contribuindo para a geração de empregos”, destaca.

O vice-presidente de Estratégia e Planejamento Corporativo da Telefónica Vivo Alejandro Contreras ressalta que a melhor resposta à desaceleração econômica na América Latina é renovar e redobrar os esforços para apoiar o empreendedorismo e as novas iniciativas empresariais.

“Há um grande ânimo empreendedor – mais de 35% da população do Brasil empreende, muito acima dos 20% dos Estados Unidos –, e o grande salto qualitativo dos profissionais, em formação e experiência devido à melhora econômica dos últimos anos, é um atrativo que não se pode deixar de aproveitar”, pontua Contreras.

“O novo espaço permitirá ao Inatel fortalecer os seus programas acadêmicos, criando novas oportunidades de desenvolvimento dos talentos de seus alunos, e contribuirá decisivamente com o incremento da inovação nos nossos programas de incubação de empresas e projetos da instituição”, afirma o professor Marcelo de Oliveira Marques, diretor do Inatel.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor