Mercado de automação residencial mostra potencial de crescimento, diz estudo

Inovação

Estudo realizado pela InfoComm revelou que o crescimento do mercado de home theaters ainda é o principal no segmento de automação residencial. Ele é impulsionado pela classe média, o que demonstra também sua ascensão nos principais países da América Latina. Com um maior poder de compra, essas famílias estão equipando suas casas com mais tecnologia.

“Há ainda um crescimento no mercado “high-end”, na medida em que a camada mais privilegiada da população investe na segurança e na automação mais complexa de suas residências”, afirma Victor Alarcón, gerente de Projetos da TecnoMultimedia InfoComm.

Segundo ele, o conceito de automação residencial está mudando, já que estão ao alcance da população novas e diversas possibilidades. Isso significa que existem sistemas mais simples e também mais complexos, que envolvem a integração para diversos ambientes, e não somente na sala de estar de uma residência, por exemplo.

“O resultado da automação é um ambiente moderno, agradável, prático, confortável, mais bonito, seguro e valorizado, sendo desenvolvida para atender ao gosto – e o bolso –, de diversos tipos de clientes, distintos perfis de compra e de moradia.”

Um outro estudo, realizado pela Associação Brasileira de Automação Residencial (Aureside), mostra que cerca de 2 milhões de residências brasileiras já teriam potencial para utilizar sistemas automatizados, mas o número que de fato o faz não chega a 20% desse total. No País, o número de empresas que fornecem ou fabricam soluções, assim como de serviços de automação residencial, triplicou em menos de cinco anos.

“Grandes empresas como Google e Apple, também estão apostando nesse nicho. Considerada antes apenas um hobby, a automação residencial deverá ver uma quantidade crescente na demanda por aparelhos e dispositivos inteligentes, desenvolvendo plenamente a automação das residências na próxima década. E isso impulsionará também o mercado da Internet das Coisas (IoT, na sigla em inglês), que está ligado intimamente com todas essas inovações”, finaliza.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor