Segurança é alavanca de negócios na transformação digital, diz presidente da CA América Latina

Big DataData StorageEmpresasInovaçãoMobilidadeNegóciosSmartphones
0 77 Sem Comentários

Laércio Albuquerque, presidente da CA América Latina, em encontro on-line com jornalistas falou sobre a importância da segurança da informação no atual momento em que as empresas despertam e caminham para o ingresso na era digital.

Para ele, o pulo do gato está na escolha de parceiros adequados que as ajudem no processo de migração para o mundo digital, capaz de mudar tudo.

“A transformação digital transforma todo mundo. Transforma o cliente, o consumidor, as corporações, os modelos de negócios, os executivos, os fornecedores e a CA também tem-se transformado para identificar e entender o que o nosso cliente precisa para se transformar”, diz.

Segundo ele, as aplicações com alta disponibilidade são elemento importante nesse cenário, apoiadas em estratégia de segurança. “Como assegurar que o dado certo esteja na mão da pessoa certa de forma segura? Essa é a grande transformação que a CA fez com seus pilares de segurança.”

Quem ainda pensa que a transformação digital é algo ainda distante por aqui, o presidente da CA assegura que o Brasil vive uma experiência espetacular nessa direção. “Bancos, seguradoras, varejo e outros segmentos estão entrando fortemente nessa era”, garante.

“Indústria farmacêutica e serviços têm sido boas surpresas. Quantas aplicações existem? Quase tudo hoje é possível ser feito pela internet. Não é preciso ir ao banco, a lojas físicas. Aqui existem aplicativos para que você até mesmo escolha a cor da sua tinta sem ir à loja e tudo isso se faz aqui no País… tudo isso no mercado brasileiro. Nasceu aqui”, diz.

O executivo ressalta que a população está digitalizada. “Pesquisas revelam que 40% das pessoas no Brasil não são bancarizadas, mas certamente têm smartphones… estão com a porta digital na palma da mão. As empresas não têm como ignorar isso e cresce junto com essas transformações”, alerta.

Mas como manter a produtividade em um mundo digital, conectado e móvel, que demanda segurança, a qual muitas vezes limita o acesso e amarra o usuário em rígidas políticas de segurança?

“Esse é um dos principais desafios desde que a transformação digital se iniciou. Contudo, não pode ser um limitador, ao contrário, ela é a alavanca de negócios”, garante.

O CIO não pode mais ser aquele que bloqueia. Ele tem de abraçar a causa no mundo digital. Tem de ser o embaixador da tecnologia nas suas empresas e conseguir mostrar isso. Ou seja, ele tem de disseminar o resultado que a transformação digital pode trazer para as áreas de negócios, conseguir parceiros corretos e implementar sim a transformação digital na forma correta, no modelo de negócios correto. Ele deve garantir a mudança do modelo de negócios de forma segura, e também uma boa experiência para os usuários.”

As corporações que mais investem em transformação digital são as mais avançadas em diferentes segmentos de atuação, diz Albuquerque, fazendo alusão a estudos recentes de mercado. “Há uma distância de evolução entre as empresas que já estão na era digital, em diferentes estágios e outras que ainda nem começaram, mesmo em um mesmo segmento”.

O executivo alerta que as empresas que nem sequer começaram a pensar em ingressar nessa nova era, não imaginam como irão controlar a segurança em um modelo digital. “Se hoje elas já consideram o gerenciamento da segurança uma tarefa complicada, pensam: Como vou controlar tudo isso no mundo digital, com uma avanlanche de dispositivos conectados? Como conseguirei monitorar minhas aplicações em um modelo totalmente cloud?”, constata.

Segurança nunca foi tão estratégica

Não faz muito tempo a segurança da informação não era um ponto importante a ser discutido e inserido logo na fase de planejamento dos projetos de TI. Hoje, segundo o executivo isso já é uma realidade.

“Uma expressiva quantidade de CIOs aqui no Brasil já abraçou essa causa de maneira espetacular. Integrar segurança no início do projeto é fundamental. Aqui no Brasil isso já é uma realidade. Tem empresas que já criaram áreas com a nova figura, o CDO [Chief Digital Officer]. Isso, porque nesse novo modelo de negócios, é preciso alinhar tudo, segurança, novos aplicativos, novos processos, com todos caminhando juntos de maneira saudável”

Ele revela que tem clientes, tanto no setor bancário como no Varejo lançando projetos totalmente digitais no mercado em que a base da segurança já foi definida no momento zero do projeto. “Não estão mais negligenciando a segurança e se preocupando apenas com a parte bonita da aplicação. As empresas que estão caminhando para se tornarem másters em transformação digital estão trabalhando dessa forma e a segurança está entrando sim desde o início”, aponta.

Segundo o Gartner, ele diz, a segurança vai consumir 50% dos recursos de TI.  “O meio físico de atendimento tradicional vai diminuir, seja em agências, em lojas físicas e vai aumentar drasticamente o acesso digital a esses tipos de serviços tradicionais e então a segurança sim se torna cada vez mais importante”, conta o presidente.

“Uma vez que as transações precisam inserir na ‘conversa’ vários atores como bancos, seguradoras e empresas, essa ‘conversa’ entre as aplicações são as chamadas APIs. Isso é segurança”, diz o executivo.

“Construir isso possibilita a empresa extrair todo o benefício, por meio da transformação digital, para gerar mais receita. Porque é fundamental a comunicação com outras empresas. Isso precisa acontecer. Não é concebível deixar de estabelecer essa comunicação na cadeia de negócios com por uma questão de segurança. Sendo assim, é necessário criar uma plataforma segura, por isso a importância da CA no gerenciamento dessa plataforma de segurança de APIs. É esse o caminho”, finaliza o presidente da CA, para quem a transformação digital é um caminho sem volta e premente no atual e avançado modelo de negócios.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor